Brasil
Acompanhe:

Paes anuncia suspensão do passaporte de vacina no Rio de Janeiro

Prefeito havia dito anteriormente que a exigência poderia ser suspensa somente quando 70% da população vacinável tivesse tomado a dose de reforço

 (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

(Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A
Agência O Globo

Publicado em 25 de abril de 2022, 14h07.

Última atualização em 25 de abril de 2022, 14h27.

O prefeito Eduardo Paes anunciou pelas redes sociais que o passaporte da vacina contra covid-19 não será mais exigido na cidade. O anúncio foi feito após reunião do comitê científico que, na manhã desta segunda-feira, recomendou a suspensão temporária da exigência. A medida ainda precisa ser publicada em Diário Oficial.

Atualmente, no Rio, o comprovante de imunização é exigido em locais como bares, restaurantes, academias, hotéis, salões de beleza, teatros, boates, museus e eventos.

O anúncio contradiz uma declaração feita pelo prefeito no mês passado, quando disse que a exigência poderia ser suspensa somente quando 70% da população vacinável estivesse com a dose de reforço. Hoje, esse índice está em 62,3%.

Número de doses de reforço estagnado

Nos últimos meses, a procura pela dose de reforço da vacina contra a covid-19 estagnou. Dados do Tabnet da prefeitura do Rio mostra uma queda de 35% de fevereiro para março do número de imunizados. Em abril, os 17 primeiros dias do mês tiveram 76 mil cariocas vacinados com a terceira dose. Em março, nos mesmos dias, 166 mil pessoas receberam a terceira dose.

Doses de reforço aplicadas

  • Janeiro: 784 mil
  • Fevereiro: 440 mil
  • Março: 287 mil
  • Abril (até dia 17): 76 mil

Segundo o comitê, "a proposta foi baseada no atual panorama epidemiológico, que se mantém favorável e estável, e pode ser alterada caso haja mudança neste cenário". A recomendação ainda será avaliada pela secretaria.

Os especialistas ratificaram a urgência do envio de novas doses de Pfizer pelo Ministério da Saúde ao município do Rio e indicaram que a Secretaria de Saúde reivindique ao órgão federal a definição de prazo e a garantia de entrega das remessas. A próxima reunião da grupo ocorrerá no dia 16 de maio.

LEIA TAMBÉM

Paulo Guedes é diagnosticado com covid-19, diz Ministério da Economia