Brasil

Obras do metrô do Rio continuam interrompidas

Os serviços de energia, água e gás que haviam sido interrompidos já foram normalizados


	Obras do metrô: Linha 4 Sul ligará Ipanema à Barra da Tijuca, zona oeste, e a previsão é que entre em operação a partir de 2016 para servir mais de 300 mil pessoas por dia  (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Obras do metrô: Linha 4 Sul ligará Ipanema à Barra da Tijuca, zona oeste, e a previsão é que entre em operação a partir de 2016 para servir mais de 300 mil pessoas por dia  (Tomaz Silva/Agência Brasil)

DR

Da Redação

Publicado em 13 de maio de 2014 às 14h54.

Rio de Janeiro - As obras da Linha 4 do metrô no Rio de Janeiro continuam interrompidas no túnel sob a Rua Barão da Torre, em Ipanema, zona sul da capital, após tremores que causaram cratera em calçada e rachaduras em alguns prédios no domingo (11).

Os serviços de energia, água e gás que haviam sido interrompidos já foram normalizados.

A assessoria da concessionária das obras informou que o restante das escavações seguem normalmente e que as obras no túnel devem ser retomadas tão logo seja apurada a causa do assentamento do solo naquele local.

Moradores dos prédios abalados continuaram apreensivos, mesmo depois de a Defesa Civil descartar risco às estruturas dos edifícios.

A Linha 4 Sul ligará Ipanema à Barra da Tijuca, zona oeste, e a previsão é que entre em operação a partir de 2016 para servir mais de 300 mil pessoas por dia.

O projeto é um dos compromissos do Governo do Estado do Rio de Janeiro com o Comitê Olímpico Internacional por ocasião dos Jogos Olímpicos. O consórcio garantiu que o cronograma das obras não será alterado, apesar da paralisação no trecho afetado por tremores.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasMetrópoles globaismobilidade-urbanaObras públicasOlimpíada 2016OlimpíadasRio de Janeiro

Mais de Brasil

Governo cria sistema de emissão de carteira nacional da pessoa com TEA

Governo de SP usará drones para estimar número de morte de peixes após contaminação de rios

8/1: Dobra número de investigados por atos golpistas que pediram refúgio na Argentina, estima PF

PEC que anistia partidos só deve ser votada em agosto no Senado

Mais na Exame