Brasil

Morre Amazonino Mendes, ex-governador Amazonas, aos 83 anos

Filiado ao Cidadania, o político chegou a disputar o cargo de chefe do Executivo estadual novamente nas eleições de 2022

Amazonino Mendes: ex-governador do Amazonas vinha enfrentando problemas de saúde desde o fim do ano passado (Governo Amazonas/Divulgação/TSE/Reprodução/Marcos Oliveira/Agência Senado)

Amazonino Mendes: ex-governador do Amazonas vinha enfrentando problemas de saúde desde o fim do ano passado (Governo Amazonas/Divulgação/TSE/Reprodução/Marcos Oliveira/Agência Senado)

AO

Agência O Globo

Publicado em 12 de fevereiro de 2023 às 11h56.

O ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes, morreu na manhã deste domingo aos 83 anos. O político estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, desde o dia 25 de dezembro. Ainda não foram divulgadas informações sobre o velório e o traslado do corpo para Manaus, onde o político deve ser sepultado.

Amazonino Mendes vinha enfrentando problemas de saúde desde o fim do ano passado. Em novembro, ele chegou a ser internado para tratar uma crise de diverticulite - inflação no intestino grosso - e uma pneumonia.

Em dezembro, o político foi novamente hospitalizado por conta de uma piora no no quadro respiratório. À época, o ex-governador chegou a receber uma visita do então presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, que passava por exames médicos de rotina no mesmo hospital antes da posse.

Filiado ao Cidadania, o político chegou a disputar o cargo de governador na última eleição, ficando em terceiro lugar na disputa, com 355 mil votos. Se eleito, esta seria a quinta vez que Amazonino ocuparia o cargo de chefe do Executivo estadual.

Acompanhe tudo sobre:AmazonasMortesPolíticos brasileiros

Mais de Brasil

Lula, 'BolsoNunes' e 'paz e amor': convenção dá tom de como será a campanha de Boulos em SP

Sob gestão Lula, assassinatos contra indígenas no Brasil aumentam 15% em 2023, aponta relatório

PRTB marca data de convenção para anunciar candidatura de Marçal no mesmo dia do evento de Nunes

Moraes defende entraves para recursos a tribunais superiores e uso de IA para resolver conflitos

Mais na Exame