Moraes pede que PGR analise notícia-crime contra Bolsonaro e filhos

O presidente e seus filhos Flávio e Eduardo são acusados de envolvimento na criação de perfis falsos no Facebook para divulgação de notícias falsas
A notícia-crime foi apresentada com base na investigação feita pelo próprio Facebook (Adriano Machado/Reuters)
A notícia-crime foi apresentada com base na investigação feita pelo próprio Facebook (Adriano Machado/Reuters)
R
Reuters

Publicado em 23/07/2020 às 12:36.

Última atualização em 23/07/2020 às 12:40.

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes enviou para manifestação da Procuradoria-Geral da República notícia-crime apresentada contra o presidente Jair Bolsonaro e seus filhos Flávio e Eduardo pelo envolvimento na criação de páginas e perfis falsos no Facebook para divulgação de notícias falsas.

O pedido para que a PGR analise e se manifeste sobre a notícia-crime é praxe dentro do processo judicial. A PGR irá analisar se existe elementos para que o presidente e seus dois filhos sejam formalmente investigados no caso.

A notícia-crime foi apresentada pela deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) com base na investigação feita pelo próprio Facebook que derrubou 35 perfis, 14 páginas e um grupo na rede pelo envolvimento com a disseminação de desinformação. Algumas dessas páginas foram cridas e eram administradas por assessores diretos e ex-assessores de Bolsonaro, Eduardo e Flávio.

Na notícia-crime, a deputada afirma que há indícios graves de que os assessores cometeram diversos delitos aliados aos dois parlamentares e ao presidente, inclusive em ameaças ao STF, e ao Congresso, e pede a inclusão da investigação no inquérito das Fake News, já instaurado no Tribunal.