• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Mendes diz que Lava Jato não pode operar cometendo crimes

Mendes disse recentemente à mídia que alguns procuradores envolvidos na Lava Jato deveriam ser eles mesmos investigados pela própria operação

	Mendes: “Eu tenho defendido as investigações e têm sido decisivas para a mudança do Brasil, mas devemos observar os parâmetros legais”
 (Evaristo Sa / AFP)
Mendes: “Eu tenho defendido as investigações e têm sido decisivas para a mudança do Brasil, mas devemos observar os parâmetros legais” (Evaristo Sa / AFP)
Por Da RedaçãoPublicado em 26/08/2016 15:41 | Última atualização em 26/08/2016 15:41Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Rio de Janeiro - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes afirmou nesta sexta-feira que não é contra a operação Lava Jato, que investiga um bilionário esquema de corrupção no país, mas ressaltou que não se pode combater ilegalidades cometendo crime, em referência a possíveis excessos da operação.

“Não sou contrário à Lava Jato, pelo contrário. Eu tenho defendido as investigações e têm sido decisivas para a mudança do Brasil, mas devemos observar os parâmetros legais”, disse o magistrado a jornalistas durante visita a Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Mendes disse recentemente à mídia que alguns procuradores envolvidos na Lava Jato deveriam ser eles mesmos investigados pela própria operação, se referindo a suposto vazamento por procuradores de dados das negociações de delação premiada do ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, supostamente citando o ministro do STF Dias Toffoli.

De acordo com Mendes, o vazamento da suposta citação a Toffoli, que já foi negada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pode ter partido de dentro da própria Lava Jato.

"Não se combate crime cometendo crime... tem que evitar abusos, excessos, e qualquer tipo de constrangimento ilegal”, afirmou o ministro do Supremo.

Na segunda-feira, a Procuradoria-Geral da República anunciou que encerrou as negociações com o ex-presidente da OAS que visavam a um acordo de delação no âmbito da Lava Jato.

O ministro Gilmar Mendes, que é o atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse ainda em Duque de Caxias que vai pedir ajuda da Polícia Federal na investigação de casos de atentados e ataques a candidatos a prefeito e a vereador em cidades brasileiras para a eleição de outubro.

Nos últimos meses foram registradas na Baixada Fluminense ao menos 13 ocorrências desse tipo, inclusive com a morte de alguns candidatos. Mendes revelou que pediu ao Ministério da Justiça para que a PF ajude a investigar incidentes eleitorais.

“A PF é o braço policial judicial, e pela sua técnica e função pode ser competente nas investigações em todo o país”, afirmou o ministro. “Tem casos que são de segurança e não obrigatoriamente eleitoral“, acrescentou.

Já está definido que as Forças Armadas vão atuar nas eleições municipais no Estado do Rio de Janeiro a pedido do governo estadual, e a Baixada Fluminense deve receber uma atenção especial das forças de segurança no pleito de outubro.