Lula aposta alto e obtém vitória pessoal

Vitória em São Paulo fortalece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dá musculatura ao projeto político do PT para 2014

São Paulo – A vitória de Fernando Haddad na eleição para a Prefeitura de São Paulo fortalece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, dá musculatura ao projeto político do PT para 2014 e deve provocar rearranjos na base de sustentação do Palácio do Planalto. Em conversas reservadas, Lula disse que o triunfo de seu afilhado político representa uma resposta das urnas ao julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal, que condenou a antiga cúpula petista.

“Estamos de alma lavada”, afirmou o ex-presidente a amigos, na noite deste domingo (28). A frase foi repetida pela ministra da Cultura, Marta Suplicy (PT).

Haddad foi uma aposta pessoal de Lula, que impôs a candidatura do pupilo contra tudo e contra todos. Nessa empreitada, prometeu até mesmo “morder a canela dos adversários” para eleger o ex-ministro da Educação.

A retomada da maior cidade do País pelo PT, após oito anos, desarruma o PSDB de José Serra para o confronto de 2014 e reforça a possibilidade de Michel Temer (PMDB) ser novamente candidato a vice na provável chapa liderada pela presidente Dilma Rousseff à reeleição. Foi Lula quem articulou com Temer, no 2.º turno da disputa em São Paulo, a adesão de Gabriel Chalita (PMDB), derrotado na primeira etapa, à candidatura de Haddad.

O movimento não parou aí. Ampliado para outras cidades, principalmente no Estado de São Paulo, foi o ensaio para mais um casamento entre o PT e o PMDB, daqui a dois anos. “O pano de fundo das alianças é o apoio a Dilma, em 2014”, admitiu o presidente do PT paulista, Edinho Silva.

Nesse jogo, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) – que sonha com o Palácio dos Bandeirantes ou mesmo com uma cadeira no Senado – terá papel relevante. Com uma bancada de 47 deputados federais, o PSD de Kassab deve se incorporar à base de Dilma e ganhar um ministério na reforma que ela promoverá na equipe, no início de 2013. A expectativa é que o flerte com Kassab, hoje aliado de Serra, resulte em palanque para Dilma. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.