HC de SP cancela cirurgias de catarata por falta de kit

O problema teve início na semana passada e causou o cancelamento de, ao menos, 240 cirurgias

	Entrada do Hospital das Clínicas de São Paulo: o hospital informou ainda que o setor de oftalmologia realiza cerca de 470 cirurgias para catarata por mês
 (Maxpana3/Wikimedia Commons)
Entrada do Hospital das Clínicas de São Paulo: o hospital informou ainda que o setor de oftalmologia realiza cerca de 470 cirurgias para catarata por mês (Maxpana3/Wikimedia Commons)
Por Da RedaçãoPublicado em 28/08/2015 15:47 | Última atualização em 28/08/2015 15:47Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - A falta do kit para cirurgia de catarata fez o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo cancelar procedimentos na capital. A informação foi dada na manhã desta sexta-feira, 28, no telejornal "Bom Dia São Paulo" (TV Globo).

Segundo a reportagem, o problema teve início na semana passada e causou o cancelamento de, ao menos, 240 cirurgias.

Em nota, o Hospital das Clínicas confirmou que houve a interrupção do fornecimento do kit durante quatro dias e disse que o caso foi pontual. O hospital não informou o número de procedimentos cancelados.

"Esta situação já foi regularizada e os pacientes já estão sendo reagendados. Vale destacar que, durante esses quatro dias, a grade cirúrgica da Divisão de Oftalmologia manteve-se totalmente preenchida, com a realização de outros procedimentos da especialidade, incluindo mutirões."

O hospital informou ainda que o setor de oftalmologia realiza cerca de 470 cirurgias para catarata por mês.

Ainda de acordo com a reportagem, o Instituto do Coração (Incor) estaria com problemas para agendamento de exames, como a cintilografia do miocárdio, que avalia o fluxo sanguíneo das artérias para o coração. O cancelamento de exames também foi relatado.

Em nota, o Incor informou que o exame de cintilografia está sendo realizado diariamente e que está fazendo a remarcação de alguns procedimentos por causa de uma obra que está sendo feita na unidade.

"Alguns exames precisam ser reagendados, no entanto, em razão das obras de reforço de pilares para a construção do Bloco 3. Esta etapa das obras será concluída em janeiro. Nesse período, estão sendo priorizadas as emergências."