Acompanhe:

Com o intuito de diminuir o número de acidentes em estradas e rodovias com profissionais que trabalham por longos períodos fazendo frete e dirigindo, foi estabelecida uma regra para fiscalizar a situação de saúde destes trabalhadores. 

O exame toxicológico é obrigatório, mas não é solicitado a todas as categorias de habilitação. Neste artigo, vamos falar mais sobre as categorias que exigem o controle toxicológico periódico, qual a validade e como fazer e renovar o seu exame toxicológico em 2024.

O que é exame toxicológico?

O exame toxicológico é um mecanismo para medir se profissionais de determinadas áreas, como atletas e condutores de veículos de certas categorias, fazem uso de substâncias tóxicas. 

O exame detecta drogas e metabólicos que foram consumidos e ainda estão presentes no organismo de quem passa pelo teste.  O procedimento é feito com a retirada de fios de cabelo, que são capazes de preservar traços das substâncias químicas por até três meses. 

Desde 2015, para motoristas habilitados nas categorias C, D e E, o exame toxicológico é obrigatório. Inclusive, o exame ficou muito conhecido como “lei do caminhoneiro” e “lei do motorista”, e é solicitado não só para a habilitação, como também por empresas de transportes na hora da contratação. 

Quem precisa fazer?

Há uma certa periodicidade para que o exame seja atualizado e os motoristas possam circular livremente. Motoristas habilitados nas categorias C, D e E são obrigados a realizar o exame toxicológico a cada 2 anos e 6 meses. 

Para saber se você precisa fazer o exame toxicológico, é possível verificar a situação da CNH digital. Se você tem o app da Carteira Digital de Trânsito (CDT), provavelmente deve ter recebido uma mensagem avisando sobre o atraso.   

É possível também acessar o aplicativo e navegar na aba “condutor”, que estará indicada a necessidade de renovação ou não do exame, de acordo com a data do último teste realizado. 

Qual o valor?

O valor do exame toxicológico pode variar de acordo com a região e o laboratório escolhido para a realização do mesmo, mas segundo a Associação Brasileira de Toxicologia (Abtox), o exame custa, em média, R$135. 

Qual a validade do exame?

O exame toxicológico tem validade de 02 anos e 06 meses e deve ser renovado periodicamente, pois a invalidação da autorização é feita automaticamente após o período de validade se encerrar.

Como agendar visita presencial do Detran?

Em São Paulo, o exame pode ser marcado nos laboratórios credenciados pelo Senatran. Confira a lista de laboratórios para realizar o exame toxicológico em São Paulo. A partir disso, o condutor pode realizar o agendamento diretamente com o laboratório escolhido. 

Desta forma, na hora de realizar o teste toxicológico, já estará sinalizado que aquele exame é destinado a sua CNH, portanto, não é necessário fazer mais nada depois disso. Com a divulgação do resultado, o próprio laboratório encaminhará para o Detran, que atualizará o status na sua carteira. 

Você pode consultar essa atualização no próprio aplicativo da Carteira Digital de Trânsito, bem como outras informações sobre o processo. Nas demais localidades, consulte o departamento de trânsito para saber como agendá-lo.

Leia também

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Código de segurança da CNH: onde fica e como achar o número?
Guia do Cidadão

Código de segurança da CNH: onde fica e como achar o número?

Há 5 dias

Categoria A, B, C, D, E: quais veículos cada carteira de habilitação pode dirigir?
Guia do Cidadão

Categoria A, B, C, D, E: quais veículos cada carteira de habilitação pode dirigir?

Há um mês

Zona Azul em SP: valor, aplicativo oficial e como pagar
Guia do Cidadão

Zona Azul em SP: valor, aplicativo oficial e como pagar

Há 2 meses

Pedágio Free Flow: o que é, como pagar e evitar multa por evasão
Guia do Cidadão

Pedágio Free Flow: o que é, como pagar e evitar multa por evasão

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais