Acompanhe:

É comum que as pessoas se perguntem quem tem direito ao reajuste salarial pelo dissídio, e a resposta é simples, apenas quem tem seu contrato de emprego regulamentado pela CLT.

Mas o direito não é liberado logo que o empregado é contratado, mas sim quando se completa ao menos um ano do momento em que a negociação tenha sido feita. 

Neste texto, vamos te mostrar como é calculado o dissídio salarial e como funciona o reajuste do salário. Além disso, confira também o dissídio 2024 atualizado. 

O que é dissídio salarial?

O dissídio salarial pode ocorrer quando o colaborador possui carteira assinada e seu salário não sofre reajustes anuais em seus ordenados. Um dissídio significa divergência, e é tradicionalmente utilizado como um termo jurídico. Os dissídios se referem a desacordos do trabalhador em relação ao empregador que podem ou não gerar uma disputa. 

Esse tipo de desacordo a respeito da atualização do valor salarial pode levar a situações jurídicas, pois o cálculo possui uma série de detalhes importantes para serem levados em consideração pelos advogados envolvidos. 

Dissídio individual 

O dissídio individual para o trabalhador pode ocorrer quando ele, individualmente, decide entrar com uma ação judicial que vise recorrer a direitos negados ou eventuais danos ocorridos em relação ao seu emprego. 

Normalmente, os desacordos envolvendo empregados e patrões acontecem quando se avalia a necessidade de revisão do cálculo do reajuste e eventuais descontos provenientes de horas extras, equiparação salarial ou pendências na hora da rescisão de um contrato empregatício. 

Dissídio coletivo

No caso do dissídio coletivo, o desacordo ou divergência é reconhecido por um grupo de funcionários da mesma categoria ou empresa.

O dissídio coletivo pode influenciar toda uma categoria caso a ação judicial seja vencida e exija a revisão dos valores em desacordo. 

Como funciona o reajuste salarial?

O reajuste salarial deve ser feito com base no valor e índices combinados no contrato empregatício. 

Por exemplo, um colaborador que possua salário de R$2.000,00 no momento de sua contratação e o reajuste baseado em determinado índice, terá que, posteriormente, ter o seu ordenado atualizado perante ao valor calculado a partir do índice combinado. 

Veja o exemplo: 

  • José foi contratado em Janeiro de 2023 ganhando R$2.000,00 com determinado índice de reajuste;
  • Em Janeiro de 2024, completado um ano de trabalho na empresa, o índice que pautava o reajuste de José foi de 5%;
  • Portanto, José passou a receber R$2.000,00 + 5%, ou seja, R$2.100,00.

Outro exemplo que temos observado nos últimos meses foi o aumento do salário mínimo, observe: 

O dissídio sobre o salário mínimo em 2023 foi equivalente a 2,8% de aumento real, ou seja, 4,62% de  inflação + 2,8% de aumento real, portanto, o salário mínimo que era de R$1.212,00 teve aumento de 7,42%, chegando aos R$1.320,00.

Quando sai o dissídio 2024?

Normalmente, o dissídio é revelado no início do ano e, em 2024, após a divulgação da inflação acumulada em 3,85%, o salário mínimo teve reajuste e chegou a R$1.412,00

A data de divulgação e valor do dissídio pode variar de acordo com o contrato trabalhista de cada pessoa. Estes valores/índices são acordados após acordo entre sindicatos e empresas. 

Como é calculado o dissídio salarial? 

Assim como nos exemplos acima, para facilitar a compreensão, preparamos uma equação que você pode utilizar em diversos casos, veja: 

(Valor do salário x Valor do dissídio) + Valor do salário = Dissídio salarial

Leia também

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Veja 3 frases que são usadas no trabalho por um CEO na Finlândia, o país mais feliz do mundo
seloCarreira

Veja 3 frases que são usadas no trabalho por um CEO na Finlândia, o país mais feliz do mundo

Há 7 horas

Desabafar com amigo não ajuda - veja a maneira nº 1 de controlar sua raiva no trabalho
seloCarreira

Desabafar com amigo não ajuda - veja a maneira nº 1 de controlar sua raiva no trabalho

Há 2 dias

Dia Mundial do Autista: 86,4% dos funcionários nunca foram treinados sobre neurodiversidade
seloCarreira

Dia Mundial do Autista: 86,4% dos funcionários nunca foram treinados sobre neurodiversidade

Há 2 dias

Conheça 4 práticas que a sua empresa deve mudar para ser skills-based
seloCarreira

Conheça 4 práticas que a sua empresa deve mudar para ser skills-based

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais