A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Governo de SP pede que municípios sigam PEI após suspensão de vacinação

A vacinação de pessoas com 28 anos na capital paulista estava planejada para começar na próxima quinta-feira (29), mas teve que ser suspensa por falta de doses

Após a Prefeitura de São Paulo suspender o inicio da vacinação de pessoas de 28 anos, de acordo com o prefeito Ricardo Nunes (MDB), devido a uma má interpretação da gestão municipal sobre o cronograma de entrega do governo do Estado, a coordenadora do Programa Estadual de Imunização (PEI), Regiane de Paula, pediu alinhamento entre os municípios junto ao PEI e alertou sobre o risco de se a antecipar o calendário de vacinação proposto pelo Estado.

Apesar do descompasso, a coordenadora garantiu que a suspensão de entradas de novas faixas etárias ao cronograma não interfere na previsão de aplicação de segunda dose da vacina.

A vacinação de pessoas com 28 anos na capital paulista estava planejada para começar na próxima quinta-feira (29), mas teve que ser suspensa por falta de doses. “Toda vez que qualquer município faz uma antecipação de doses, tem sempre um certo risco”, alertou Regiane. “O que a gente solicita aos municípios, que quando eles começam uma vacinação, que eles trabalhem conosco no nosso calendário”, pediu.

A coordenadora descartou a possibilidade de que a antecipação de vacinação colocou em risco a aplicação da segunda dose da vacina. “Quando nós enviamos doses, nós enviamos a primeira dose para os grupos que nós estamos abrindo, baseado na população IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) daquele município, e enviamos também a segunda dose. Então, em nenhum momento, nós paramos de fazer a segunda dose”.

Regiane relembra que, além da distribuição da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac, o Programa Nacional de Imunização (PNI) conta com a vacina da Pfizer. “Sabemos que o Ministério da Saúde tem recebido todos os dias, desde o dia 21, cargas de vacinas da Pfizer”, afirma. A coordenadora, então, faz um apelo pela entrega dos imunizantes de forma urgente e rápida para acelerar a vacinação tanto no Estado de São Paulo quanto no Brasil.

Entrega de vacinas

Na manhã desta segunda-feira, 26, o Instituto Butantan realizou a entrega de mais 1.5 milhão de doses da vacina da Coronavac contra a covid-19 ao PNI. Com o novo lote, as vacinas já enviadas à Saúde somam 60,1 milhões. A entrega foi feita pelo secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não compareceu, pois continua em isolamento devido à reinfecção pela covid-19. O vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB) também não estava presente pois foi tomar, nesta manhã, a segunda dose da vacina contra a covid-19, em São José do Rio Preto, no interior paulista.

Como a vida pós-vacina vai mudar a sua vida profissional? Assine a EXAME e entenda.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também