Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Governo de SP avalia estender quarentena emergencial por mais 2 semanas

A fase mais restritiva de circulação começou no dia 15 de março e tem previsão de acabar no próximo dia 30

O governo de São Paulo avalia estender a quarentena chamada de emergencial por mais duas semanas. A fase mais restritiva começou no dia 15 de março e tem previsão de acabar no próximo dia 30. Neste período, em todo o estado só é permitir o funcionamento de serviços essenciais, como farmácias, supermercados e postos de gasolina. Ficou obrigatório ainda o teletrabalho para serviços administrativos.

"Ontem [terça-feira] nós avaliamos os dados que nós tínhamos até segunda-feira, 22. Nesse cenário é possível, a partir daquela avaliação, que haja uma extensão de fase emergencial por um período de 15 dias. Mas esses número mudam e essa avaliação pode mudar também. Continuamos avaliando os números e ao longo dos próximos dias vamos tomar a decisão", disse Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da covid-19 do estado de São Paulo.

Na terça-feira, 23, o estado de São Paulo registrou o pior número de vítimas da covid-19 em 24 horas, com 1.021 mortos. A taxa de ocupação de leitos de UTI é uma das mais altas já registradas, em 92%. Na Grande São Paulo este número é de 91%, mas já há hospitais em que a ocupação chegou a 100%.

Mesmo sem terminar, o mês de março é o mais letal da pandemia de covid-19 não só em São Paulo, mas em todo o Brasil. Especialistas em saúde pública ouvidos por EXAME dizem que o país chegou a este momento por uma soma de fatores, dentre eles as novas variantes do coronavírus, mais transmissíveis, a livre circulação de pessoas no fim de 2020 e começo de 2021, além da vacinação lenta.

A quarentena emergencial em São Paulo está em vigor desde o dia 15 de março e o governo adotou medidas até então inéditas, como um toque de recolher. É proibido circular nas ruas em todo o estado das 20h às 5h sem que haja um motivo justificável, como voltar do trabalho ou ir um atendimento médico urgente, por exemplo. Os agentes de segurança fazem blitze para verificar o motivo das pessoas estarem fora de casa. Apesar disso, não há multa ou punição, apenas orientação.

Outras restrições envolvem setores que até então eram considerados essenciais. Lojas de materiais de construção, por exemplo, estão proibidas de abrir. Outra alteração é a retirada de alimentos em restaurantes, que passou a ser proibida. A modalidade delivery está permitida a qualquer hora do dia, e a de drive-thru somente no período noturno, das 5h às 20h. As praias e os parques estão fechados.

Restrições da fase "emergencial"

  • Apenas atividades essenciais podem funcionar, como supermercados, açougues, padarias, feiras livres, farmácias, postos de gasolina, petshops
  • Comércio, shoppings, academias, salões de beleza, bares precisam ficar fechados
  • Restaurantes: é permitida a entrega (delivery) por 24h. A compra sem sair do carro (drive-thru) vale das 5h às 20h. Consumo no local e a retirada direta de comida são proibidos
  • Teletrabalho de serviços administrativos é obrigatório
  • Parques e praias ficam fechados
  • Venda de bebida alcoólica só é permitida entre 6h e 20h
  • Qualquer tipo de aglomeração é proibido
  • Toque de recolher das 20h às 5h

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também