Enfermeiros protestam por condições melhores de trabalho no País

Segundo o Conselho Federal de Enfermagem, pelo menos 4.602 enfermeiros foram afastados por suspeita de coronavírus
 (Ueslei Marcelino/Reuters)
(Ueslei Marcelino/Reuters)
Por da Redação Publicado em 01/05/2020 19:07 | Última atualização em 01/05/2020 20:30Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um grupo de enfermeiros fizeram um protesto nesta sexta-feira, 1º, em homenagem aos trabalhadores da saúde. O ato ocorreu em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. Em protesto silencioso, os manifestantes seguravam cruzes em referência aos mortos do país por coronavírus (Covid-19). Hoje, o Brasil atingiu a marca de 91.589 casos confirmados e 6.329 óbitos.

Os enfermeiros também alertaram sobre o número de profissionais contaminados pela doença. Segundo o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), pelo menos 4.602 enfermeiros foram afastados por suspeita de covid-19.

Um levantamento realizado pelos Conselhos Regionais em 5.780 instituições de Saúde indicam alto índice de contágio na categoria, associado à escassez de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), como máscaras, luvas, gorros, aventais e capotes.

O Cofen defende a contratação de quantitativo adicional para fazer frente à pandemia e ingressou com ações na Justiça Federal para preservar profissionais idosos ou integrantes de grupos de risco, nas redes pública e privada, do contato com pacientes suspeitos de COVID-19. Até o dia 27 de abril, foram registrados 49 óbitos de profissionais de enfermagem associados à COVID-19. A maior parte deles integrava pelo menos um grupo de risco.