El Salvador descarta romper relações com o Brasil

Há três dias, o presidente salvadorenho disse em ato público que não reconheceria o governo interino de Michel Temer

O presidente de El Salvador, Salvador Sánchez Cerén, afirmou nesta terça-feira que seu governo "não pensou" em romper relações com o Brasil, após o afastamento da presidente Dilma Rousseff da Presidência.

"El Salvador não pensou, nem vai pensar imediatamente em romper as relações com o Brasil, porque sabemos as relações que existem entre El Salvador e Brasil e a cooperação", assegurou Sánchez Cerén em uma coletiva de imprensa.

Há três dias, o presidente salvadorenho disse em ato público que não reconheceria o governo interino de Michel Temer ao considerar que o afastanebti de Dilma era uma "manipulação política".

Nesta ocasião, disse que havia conversado com a embaixadora salvadorenha no Brasil, Diana Marcela Vanegas, a quem foi instruída não participar de nenhum ato oficial.

Nesta terça, Sánchez Cerén declarou que Vanegas chegará a El Salvador para "apresentar um relatório de como está a situação" no Brasil.

"Ela irá nos apresentar um relatório porque queremos dá-la um monitoramento contínuo da situação no Brasil, não significando que essa medida é uma retirada de nossa embaixadora", explicou.

Na segunda-feira, o Brasil encorajou que El Salvador reconsiderasse seu rechaço ao governo interino de Temer, uma vez que recordou os acordos econômicos que a nação da América Central havia se beneficiado.

Nesse sentido, o presidente salvadorenho disse que "respeita" a postura do Brasil e reconheceu o feito de que ambas nações têm relações "de amizade e cooperação".

"Somos dois povos que temos relações históricas e, portanto, estes intercâmbios que estão ocorrendo não tem nenhum propósito de romper as relações com o Brasil", insistiu.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.