Durval Barbosa, delator do Mensalão do DEM, é esfaqueado em casa pela mulher

A mulher teria afirmado aos atendentes que entrou em vias de fato com o marido e que, para se defender, esfaqueou-o na região do abdômen
O “Mensalão do DEM” foi um esquema de corrupção revelado pela operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
O “Mensalão do DEM” foi um esquema de corrupção revelado pela operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 19/09/2022 às 20:09.

O ex-secretário de Relações Institucionais do Governo do Distrito Federal e ex-delegado de polícia Durval Barbosa, delator do chamado “Mensalão do DEM”, foi esfaqueado no abdômen durante uma discussão com a mulher na tarde desta segunda-feira, 1. O crime teria acontecido dentro da sua casa, na rua 114 da Asa Sul.

De acordo com informações da Polícia Militar, a mulher teria afirmado aos atendentes que entrou em vias de fato com o marido e que, para se defender, esfaqueou-o na região do abdômen. O órgão não possui outros registros de violência doméstica no endereço do casal.

Barbosa foi socorrido com vida e encaminhado para o HRAN (Hospital Regional da Asa Norte). A mulher foi levada para o 1º Distrito Policial, onde presta depoimento. A faca usada no crime foi apreendida.

"Mensalão do DEM"

O “Mensalão do DEM” foi um esquema de corrupção revelado pela operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. Os crimes apurados pelas investigações levaram à cassação do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda e seu vice, Paulo Octávio em 2009.

Na época, o Ministério Público denunciou 19 pessoas que fariam parte do esquema. Barbosa fez um acordo de delação premiada no final de 2011, o que fez com que ele fosse absolvido pelo Tribunal de Justiça do Estado em junho de 2012.

Em novembro de 2015 o ex-secretário chegou a ser condenado pelo Tribunal de Contas do DF a devolver R$ 9 milhões que teriam sido desviados quando ele foi diretor da Codeplan (Companhia de Planejamento do DF).

LEIA TAMBÉM:

DF condena Durval Barbosa a devolver R$ 9,3 milhões