A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Doria diz que toda a população de São Paulo será vacinada até dezembro

Considerando apenas as pessoas vacinadas com as duas doses, o estado já imunizou 5,6 milhões de pessoas

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse, nesta segunda-feira, 31, que toda a população do estado será vacinada contra a covid-19 até dezembro. Até o momento, foram aplicadas pouco mais de 17 milhões de doses. Considerando apenas as pessoas que receberam as duas doses, ou seja, que estão efetivamente protegidas, já são 5,6 milhões imunizados.

“Volto a afirmar com toda ênfase e toda a segurança: até dezembro toda a população vacinável estará imunizada. Todos que puderem receber vão receber. Não posso responder pelo Brasil, mas respondo por São Paulo e afirmo”, disse ele durante coletiva de imprensa no Instituto Butantan.

A partir da terça-feira, 1º de junho, o estado de São Paulo começa a imunização dos portuários. Entre os dias 2 e 16 de agosto serão vacinadas as pessoas entre 50 e 54 anos. E, no dia 17 de agosto, começa a vacinação das pessoas entre 45 e 49 anos, um público total de 3,6 milhões de pessoas.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, são 160 milhões de pessoas vacináveis, acima de 18 anos. A primeira parte é voltada para grupos prioritários, com idosos e pessoas com comorbidades, composta por 77 milhões de pessoas. Quase 20 milhões já receberam as duas doses da vacina. A previsão do governo é concluir esta etapa em setembro.

Mas o ritmo depende da quantidade de doses que estejam disponíveis. Segundo o Ministério da Saúde, há a contratação de um total de 662 milhões de doses de vacina, com cronograma de entregar até o fim de 2021, ou seja, um excedente de 118 milhões - levando em conta a vacinação de toda a população.

Os maiores volumes foram comprados da Fiocruz/AstraZeneca (210 milhões), da Pfizer/BioNTech (200 milhões), e do Instituto Butantan/Sinovac (130 milhões). Até o fim de maio, o governo federal já distribuiu quase 90 milhões de doses.

Projeto Serrana

A vacinação em massa da população de Serrana com a Coronavac - vacina desenvolvida em parceria entre o Butantan e a Sinovac - demonstrou que o imunizante é efetivo também para evitar hospitalizações e mortes entre idosos maiores de 70 anos. Dados preliminares foram apresentados nesta segunda-feira, 31, em coletiva de imprensa do Instituto Butantan.

O município do interior paulista foi escolhido por pesquisadores para um estudo sobre os efeitos da vacinação em massa na população adulta. Ao todo, 27.160 mil habitantes acima de 18 anos receberam as duas doses da Coronavac em uma campanha finalizada em meados de abril.

De acordo com dados apresentados pelo diretor médico de pesquisa clínica do Butantan, Ricardo Palacios, o número de hospitalizações e mortes na faixa etária superior aos 70 anos foi reduzido a zero após a semana epidemiológica 14, quando 95% dos adultos de Serrana já estavam vacinados. Foram registrados apenas uma morte e uma internação nessa faixa etária, mas entre indivíduos não imunizados. Antes da conclusão da vacinação, o número de registros do tipo chegou a cinco por semana.

(Com Estadão Conteúdo)

  • Quer saber tudo sobre o desenvolvimento e eficácia de vacinas contra a covid-19? Assine a EXAME e fique por dentro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também