• AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
  • AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
Abra sua conta no BTG

Doria: com aval da Anvisa, Coronavac pediátrica será usada imediatamente

A liberação ainda depende da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que vai se reunir na próxima quinta-feira, 20
 (Reuters/Rodrigo Garrido)
(Reuters/Rodrigo Garrido)
Por Gilson Garrett JrPublicado em 19/01/2022 13:19 | Última atualização em 19/01/2022 13:24Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O Instituto Butantan tem 15 milhões de doses da vacina contra a covid-19 para o uso em crianças e adolescentes prontas para serem distribuídas aos estados. A liberação ainda depende da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que vai se reunir na próxima quinta-feira, 20, para avaliar o uso emergencial do imunizante para adolescentes e crianças entre 3 e 17 anos.

“São Paulo recebeu do Ministério da Saúde menos de 10% da necessidade para vacinar todas as crianças, e o mesmo ocorreu com todos os estados. O Butantan tem 15 milhões de doses da Coronavac prontas. E isso nos permitirá aqui em São Paulo, e em todo o país, vacinar rapidamente toda a quantidade de crianças em até três semanas”, disse o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 19.

Ainda de acordo com o governador, caso a Anvisa libere a vacina pediátrica, a aplicação começa "imediatamente". O esquema vacinal é o mesmo de adulto, com duas doses, com o intervalo de 28 dias.

Na segunda-feira, 17, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que assim que a Anvisa liberar a vacina pediátrica da Coronavac, a pasta “vai avaliar” para que o imunizante seja disponibilizado dentro do Programa Nacional de Imunizações.

Segundo o presidente do Butantan, Dimas Covas, ainda não há nenhum acordo para o fornecimento da vacina pediátrica ao Ministério da Saúde, mas o laboratório paulista “está aberto” a firmar novos acordos com o governo federal. Por enquanto, o Ministério da Saúde tem apenas contrato de compra com o imunizante da Pfizer, o único liberado para o público pediátrico no país.

Na conta do Butantan, 10 milhões estão reservadas ao governo de São Paulo - que pretende vacinar todas as crianças do estado - e as outras 5 milhões podem ser distribuídas ao governo federal e da mesma forma a outros estados. Por enquanto, não há compra por parte de outras unidades federativas.

Em agosto, Anvisa vetou Coronavac pediátrica

No ano passado, em agosto, a Anvisa barrou o uso da vacina do Instituto Butantan em crianças. Na época, segundo a agência, os documentos apresentados dos estudos realizados não garantiram a eficácia e segurança no uso da vacina no grupo pediátrico. O argumento foi de que a aplicação do imunizante em crianças e adolescentes poderia colocá-los em risco.

Na semana passada, o Instituto Butantan enviou à Anvisa mais dados para que a agência analise o pedido de liberação da vacina pediátrica, prevista para crianças de 3 a 11 anos. Foram apresentados e analisados dados de pesquisas e estudos feitos pelo governo do Chile durante a aplicação da vacina Coronavac em crianças e adolescentes no país.

O encontro on-line e fechado reuniu especialistas da agência, do Instituto Butantan, pesquisadores chilenos, técnicos do laboratório Sinovac China e representantes da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), da Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) e da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

Número de crianças em UTI cresce 61%

De acordo com dados da Secretaria da Saúde do estado de São Paulo, as internações de crianças e adolescentes, com menos de 18 anos, em UTI cresceram 61%. Segundo os números oficiais, em novembro do ano passado eram 109 internados em todo o estado. No dia 10 de janeiro eram 171 crianças e adolescentes.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações, Regiane de Paula, destacou que o estado tem capacidade de imunizar 250 mil crianças por dia, mas depende da liberação de mais doses por parte do governo federal.