Após rebaixamento, Dilma se diz comprometida com meta fiscal

Em entrevista ao Valor Econômico, a presidente prometeu enviar um pacote de medidas ao Congresso com propostas de corte de despesas e aumento de impostos

São Paulo — Depois do rebaixamento do Brasil pela agência de avaliação de risco Standard & Poor's, a presidente Dilma Rousseff disse estar "comprometida" com a meta de superávit fiscal de 0,7% do PIB. 

Dilma havia dado uma estrevista do jornal Valor Econômico antes do Brasil perder o grau de investimento e voltou a falar com o jornal em seguida.

"O governo brasileiro continua trabalhando para melhorar a execução fiscal e torná-la sustentável. É fundamental a retomada do crescimento", afirmou Dilma.

"Você vai notar que de 1994 a 2015 só em 7 anos, a partir de 2008, a nota foi acima de BB+. Portanto, essa classificação não significa que o Brasil esteja em uma situação em que não possa cumprir as suas obrigações. Pelo contrário, está pagando todos os seus contratos como também temos uma clara estratégia econômica. Vamos continuar nesse caminho e retomar o crescimento deste país”, completa.

A presidente prometeu enviar um pacote de medidas ao Congresso Nacional com propostas de corte de despesas e aumento de impostos. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.