Brasil

Congonhas tem filas e 140 voos cancelados após incidente com aeronave; pista foi liberada

Pneus de avião de pequeno porte estouraram após o pouso e pista foi interditada às 13h30 e liberação aconteceu às 22h18, informou Infraero

Congonhas: pneus traseiros de um avião de pequeno porte estouraram no pouso e a pista principal foi interditada às 13h30. (Germano Lüders/Exame)

Congonhas: pneus traseiros de um avião de pequeno porte estouraram no pouso e a pista principal foi interditada às 13h30. (Germano Lüders/Exame)

AO

Agência O Globo

Publicado em 10 de outubro de 2022 às 06h44.

Passageiros enfrentaram, neste domingo, grandes filas no check in das companhias aéreas, além de atrasos e cancelamentos nos pousos e decolagens no Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, o segundo mais movimentado do país, atrás apenas de Cumbica, em Guarulhos.

Os pneus traseiros de um avião de pequeno porte estouraram no pouso e a pista principal foi interditada às 13h30. Foram cancelados 140 voos entre chegadas e partidas, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), responsável pela administração dos aeroportos. Os voos só foram liberados a partir das 22h18.

Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

No começo da noite deste domingo, a Infraero informou que as equipes técnicas sob responsabilidade da empresa proprietária da aeronave trabalhavam para a retirada do equipamento que teve os trens de pouso danificados, sendo necessária uma prancha para a remoção da aeronave. A retirada só ocorreu às 22h02, quase nove horas depois do incidente.

Ao longo do dia, o Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), órgão vinculado ao Comando da Aeronáutica, e o Cenipa começaram a apurar as causas do incidente.

Pelo menos 13 estados, além do DF, foram afetados pelos cancelamentos. O site da Infraero orienta os passageiros a procurarem as companhias aéreas.

Passageiros que remarcaram passagens da tarde para esta noite ainda não tinham a garantia de que embarcariam. As operações em Congonhas se encerram às 23h para evitar barulho na região, mas foram prolongadas até 1h depois de quase nove horas de interrupção.

O médico Ricardo Gamarski, que trabalha na secretaria de Saúde de Brasília, tinha voo marcado pela Gol às 17h55 deste domingo, saindo de Congonhas. Chegou ao aeroporto por volta de 16h e o caos já estava instalado. Ele foi informado de que, enquanto o painel não avisasse que seu voo tinha sido cancelado, deveria ficar na fila.

- Eu e minha mulher procuramos a fila preferencial, mas ficamos quase duas horas até sermos atendidos. Os funcionários da companhia estavam atordoados - afirmou ele, que acabou remarcando a viagem de volta a Brasília para 8h desta segunda, também em Congonhas.

Ele pensou em procurar Guarulhos como alternativa, mas foi informado pela Gol que não havia voos.

- Nem o voucher do táxi que a companhia ofereceu consegui usar. A espera por um carro era de uma hora - afirmou.

Outros passageiros tinham esperança de viajar ainda nesta noite.

"Tinha viagem para Florianópolis hoje à tarde, remarquei para esta noite, mas não sei se vou conseguir embarcar. A informação é que a pista só volta a funcionar amanhã. O saguão está lotado", contou o passageiro Fernando M., numa rede social.

Em nota, a Latam orientou que os passageiros com passagens marcadas saindo de Congonhas procurem informações no site da empresa (latam.com).

Segundo a empresa, os passageiros com voos programados com origem, conexão ou destino em Congonhas, neste domingo, podem postergar ou cancelar as viagens sem custo, fazendo a remarcação ou pedindo o reembolso do valor das passagens aéreas sem cobrança de multa e de diferença tarifária em até 15 dias da data do seu voo original.

Os passageiros que optarem pela remarcação ou reembolso não devem se dirigir ao aeroporto.

Segundo o site da Infraero, foram cancelados os seguintes voos da Latam: Florianópolis, Porto Seguro, Rio, Fortaleza, Goiânia, São José do Rio Preto, Curitiba, Porto Alegre, Salvador,Confins, em Minas, Vitória, Navgantes, Várzea Grande.

"A empresa lamenta os possíveis transtornos que a situação possa ter ocasionado, esclarece que aguarda as operações serem normalizadas no aeroporto", diz a nota da Latam.

Da Gol, havia cancelamentos, segundo a Infraero, para o Rio , Porto Alegre, Curitiba. A Gol informou em nota que oito voos foram alternados para pouso em outros aeroportose 41 foram cancelados na chegada e saída.

"A companhia reforça que presta total assistência aos clientes e recomenda que os passageiros afetados evitem ir para o aeroporto de Congonhas. A Gol lamenta os transtornos causados, mas reforça que ações como essa visam garantir a segurança dos seus clientes", diz a nota da empresa.

Da Azul, foram cancelados os voos para Confins, em Minas e Rio. Os dois voos foram alternados para Guarulhos, informou a empresa.

Já o voo da Azul AD4145, de Recife para Congonhas, foi alternado para Viracopos.

E os voos AD4797 (Congonhas – Santos Dumont), AD4454 (Congonhas – Confins), AD4005 (Santos Dumont – Congonhas), AD4462 (Congonhas – Santos Dumont), AD4250 (Congonhas – Recife) e AD4201 (Recife – Congonhas), AD4456 (Congonhas - Confins), AD2800 (Confins – Viracopos), que tinham a capital paulista como origem ou destino foram cancelados, informou a Azul.

"A companhia ressalta que os Clientes receberam toda a assistência necessária da Azul, conforme prevê a resolução 400 da ANAC, e lamenta eventuais contratempos causados pela situação", disse a Azul em nota.

Avião ficou próximo ao barranco

A pista principal do aeroporto foi interditada por volta de 13h30 deste domingo após os pneus de uma aeronave de pequeno porte estourarem durante o pouso. O avião, um Learjet 75 prefixo PP-MIX, chegou a derrapar, saiu da pista, e ficou próximo a um barranco na cabeceira da pista que dá para a Avenida Washington Luís.

De acordo com a Infraero, a aeronave transportava três passageiros e dois tripulantes. Ninguém ficou ferido.

"Todas as equipes técnicas foram acionadas e as providências necessárias tomadas de imediato para a retirada da aeronave o mais rápido possível", informou a Infraero em nota.

O avião decolou às 12h16 da cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, e pousou em Congonhas pouco antes das 13h30. A aeronave pertence a uma empresa do ramo de construção. Os pneus traseiros do trem de pouso estouraram quando o avião aterrissou.

A pista foi interditada e a previsão era que a liberação ocorreria às 15h30, o que acabou não acontecendo. A pista auxiliar continuou aberta apenas para a aviação executiva.

Investimentos de R$ 122 milhões

Para ampliar a capacidade do tráfego aéreo em Congonhas, o governo investiu R$ 122 milhões em um dispositivo de segurança: uma área de escape localizada na extremidade da pista, com blocos de concreto que se deformam em caso de impacto com uma aeronave que venha a ultrapassar o limite da pista.

No passado, o aeroporto chegou próximo de 50 movimentos hora, mas a capacidade foi reduzida após o acidente com o A320 da Latam, em 2007.

Com os investimentos realizados em segurança, o aumento do movimento de pousos e decolagens é visto como totalmente seguro pelo setor. No entanto, Latam e Gol vêm alertando sobre problemas de capacidade do terminal de passageiros e também sobre gargalos nas vias de acesso ao aeroporto.

Acompanhe tudo sobre:AviõesAzulCongonhasGol Linhas AéreasLatamViagens

Mais de Brasil

Quero ser responsável pela vitória dele, diz Lula no lançamento da candidatura de Boulos em SP

Com esquerda em peso e até bolsonarista, PSD oficializa candidatura de Paes sem definir vice

Vamos colocar a periferia em primeiro lugar, diz Boulos ao oficializar candidatura ao lado de Lula

Fuad e Kassab apostam em discurso moderado e feitos da gestão para reeleição em prefeitura BH

Mais na Exame