Cai apoio explícito à greve dos caminhoneiros nas redes sociais

Pesquisa da empresa Torabit, especializada em medição de comentários, mostrou que apoio explícito caiu em 20 pontos porcentuais em três dias
Caminhoneiros: na última sexta-feira, 25, 53,5% dos posts em redes sociais e blogs eram favoráveis ao movimento (Agência Brasil/Agência Brasil)
Caminhoneiros: na última sexta-feira, 25, 53,5% dos posts em redes sociais e blogs eram favoráveis ao movimento (Agência Brasil/Agência Brasil)
Por Fernando Scheller, do Estadão ConteúdoPublicado em 28/05/2018 16:38 | Última atualização em 28/05/2018 17:07Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - Uma pesquisa da empresa Torabit, especializada em medição de comentários nas redes sociais, mostrou que o apoio explícito dos internautas à paralisação dos caminhoneiros, que entrou nesta segunda-feira, 28, em seu oitavo dia, caiu em 20 pontos porcentuais em três dias.

Na última sexta-feira, 25, 53,5% dos posts em redes sociais e blogs eram favoráveis ao movimento - agora, essa proporção é de 34,5%. A medição do mais recente levantamento se encerrou às 10 horas desta segunda, 28

Já as avaliações positivas caíram de 52% para 45% - parte desses comentários, porém, destacava os efeitos da paralisação de forma negativa. O restante dos comentários foi avaliado como "neutro".

Para chegar aos dados, a Torabit mediu as reações no Twitter, Instragram, YouTube, Google+, páginas abertas no Facebook, blogs e sites de internet.

Em sites de notícias, segundo o Instituto Verificador de Circulação (IVC), a palavra "caminhoneiro" foi a mais clicada em todo o último fim de semana.