Cachoeira Véu de Noiva fica praticamente seca devido à crise hídrica

Cartão-postal do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, está praticamente sem água nos últimos dias; veja vídeo
Prefeitura decretou situação de emergência (Youtube/Reprodução)
Prefeitura decretou situação de emergência (Youtube/Reprodução)
A
Agência O Globo

Publicado em 01/09/2021 às 08:38.

Última atualização em 01/09/2021 às 10:48.

A estiagem deste ano deixou a cachoeira Véu de Noiva praticamente seca. A queda d'água situada no Parque Nacional de Chapada dos Guimarães é um dos principais atrativos turísticos de Mato Grosso. Imagens feitas no local, no último fim de semana, mostram que o cartão-postal da região ficou quase enxuto com a falta de chuvas.

  • Fique por dentro das principais tendências das empresas ESG. Assine a EXAME.

Um vídeo gravado no sábado faz uma panorâmica da cachoeira. Pelas imagens, não se vê qualquer gota d'água a despencar do Véu de Noiva, que tem 86 metros de altura. É possível apenas observar a marca mais escura no paredão de arenito, por onde deveria escorrer a água no despenhadeiro.

"A estiagem está tão impressionante que o Véu de Noiva, um dos pontos turísticos mais visitados de MT secou. Na filmagem de ontem e uma foto do ano passado para recordar. Sustentabilidade não pode ser somente uma palavra da moda. Ações são importantes para o não comprometimento das próximas gerações", diz a legenda do vídeo.

A Véu de Noiva está localizada no município de Chapada dos Guimarães, distante 60km de Cuiabá. A economia local sobrevive do turismo e da agropecuária, e ambos estão sofrendo com a seca deste ano.

— Só restou um filete de água no Véu de Noiva. A região é abastecida pelo córrego Caxipozinho, mas ele está bem exaurido. Na hora do sol quente fica ainda pior e ele quase desaparece. À noite ele fica com o volume um pouco maior. Já está assim há uns três anos, mas esse foi pior e surpreendeu a gente — explicou Osmar Froner, prefeito de Chapada dos Guimarães.

Antes de ter secado a cachoeira, a estiagem deixou os moradores com sede. Ainda em julho a Prefeitura decretou situação de emergência e deu início ao abastecimento de água em propriedades rurais.

De acordo com o prefeito, há 72 comunidades tradicionais e sete distritos no município, todos com carência de água. No momento, um carro-pipa faz o fornecimento para cerca de 300 famílias. Chapada dos Guimarães tem 19,5 mil habitantes.

— A Defesa Civil nos orientou a decretar situação de emergência. Então entramos no sistema nacional e o nosso decreto foi reconhecido, por meio de uma portaria do governo federal. Nós pedimos R$ 855 mil para dar resposta e recuperação. Mas fomos contemplados apenas com a resposta, no valor de R$ 148 mil. Vamos usar esses recursos para comprar galões de água potável e contratar mais um caminhão-pipa — afirmou o prefeito.

As queimadas também preocupam os moradores do município. Nos últimos anos, focos de incêndio atingiram áreas próximas e dentro do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães. Segundo o prefeito, o município contratou uma brigada e tem outras 11 que foram capacitadas pelo Corpo de Bombeiros. O fogo preocupa, sobretudo, porque no vale do Véu de Noiva há uma concentração de ninhos de araras vermelhas.