Brasil

Brasil atinge 11 mil mortes e mais de 162 mil casos de covid-19

Com essa atualização, o Brasil teve 496 mortes em 24 horas

Cemitérios: a prefeitura de São Paulo abriu mais covas para atender ao aumento no número de óbitos (Bloomberg / Colaborador/Getty Images)

Cemitérios: a prefeitura de São Paulo abriu mais covas para atender ao aumento no número de óbitos (Bloomberg / Colaborador/Getty Images)

CC

Clara Cerioni

Publicado em 10 de maio de 2020 às 19h03.

Última atualização em 11 de maio de 2020 às 09h21.

O Brasil atingiu a marca de 11.123 mortes por coronavírus e 162.699 casos confirmados da covid-19. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde neste domingo, 10. O número representa 496 mortes em 24 horas. Foi o menor número de mortes registrado nos últimos dias. A média estava em 600 óbitos e ontem bateu a marca de 700.

Nelson Teich, ministro da Saúde, usou as redes sociais, neste domingo Dia das Mães, para lamentar a marca recorde de 10 mil mortes e se solidarizar com os familiares das vítimas. "Quero falar principalmente pra aquelas mães que hoje choram a perda de seus filhos e para os filhos que hoje não podem comemorar o dia com suas mães. Para esses, deixo aqui meus sentimentos e meu compromisso de fazer o meu melhor para que vençamos rápido essa terrível guerra”, disse.

Por conta do grande aumento nos números da doença na última semana, o que se viu foi o fechamento total, o chamado lockdown, em pelo menos quatro estados. Com a medida mais rígida, a circulação nas ruas só é permitida em casos essenciais. Quem descumprir pode pagar multa e ser detido.

As capitais do Maranhão, Pará e Ceará proibiram a circulação de pessoas sem um motivo essencial. Na Bahia, Salvador tem restrições em alguns bairros. Mas segundo o governo municipal, a medida pode atingir toda a cidade caso os números não caiam.

No estado do Rio de Janeiro, a capital adotou o fechamento de alguns bairros. Já Niterói, estará em lockdown a partir desta segunda-feira, 11.

Nesta sexta-feira, 8, o governo de São Paulo ampliou a quarentena até o dia 31 de maio, mas ainda sem o lockdown. O estado, que é epicentro da pandemia no país, tem mais de 40 mil casos confirmados e quase 3,5 mil mortes. A partir de segunda começa a vigorar um rodízio mais rígido na capital paulista, reduzindo em 50% a circulação da frota.

Mundo

No mundo já são mais de 4 milhões de pessoas infectadas e quase 282 mil mortes pelo coronavírus, segundo o levantamento da  Universidade Johns Hopkins.

Uma notícia vindo da cidade de Wuhan, onde começou a pandemia do novo coronavírus, pode trazer ainda mais preocupação ao cenário. A cidade voltou a registrar um caso de covid-19, segundo levantamento divulgado pela Comissão de Saúde da Província de Hubei. O paciente está em estado grave, conforme o relatório. É o primeiro novo caso desde 3 de abril, segundo levantamento feito pela rede de TV CNN. A cidade teve 50.334 casos e 3.869 mortes confirmados, conforme a comissão. Ainda segundo a CNN, o paciente mora em um bairro que registrou 20 casos confirmados, e o novo caso está sendo tratado como “infecção comunitária passada”.

Também foram registrados novos casos na Coreia do Sul. A cidade de Seul decidiu fechar cerca de 2.100 bares e casas noturnas depois de registrar 34 novos casos. É o maior aumento em número de casos desde o dia 9 de abril.

 

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusMinistério da Saúde

Mais de Brasil

Governo sanciona lei que prevê plano de combate à violência contra mulher

PL do aborto: Conselho Federal da OAB aprova parecer que avalia texto como inconstitucional

Em SP, operação da Polícia Civil despeja projeto social na Cracolândia

PF recupera gravuras raras roubadas há 16 anos da Biblioteca Mário de Andrade, em SP

Mais na Exame