A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Bolsonaro diz que "falta humildade" a Mandetta

Em entrevista a Jovem Pan, presidente disse ainda que "nenhum ministro é indemissível" ao se referir ao chefe da pasta da Saúde

O presidente Jair Bolsonaro disse na noite desta quinta-deira que nenhum de seus ministros são indemissíveis. Bolsonaro falava da atuação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, quando disparou:

"Olha, o Mandetta já sabe que a gente esta se bicando há algum tempo. Não pretendo demiti-lo no meio da guerra. Em algum momento ele extrapolou. Respeitei todos os ministros, ele também. A gente espera que ele dê conta do recado. Tenho falado com ele. Ele está numa situação meio... Se ele se sair, bem, sem problema. Nenhum ministro meu é indemissível", disse Bolsonaro, em entrevista a rádio Jovem Pan.

Bolsonaro disse que, "em algum momento",  Mandetta teria que "ouvir um pouco mais o presidente da República".

"Ele (ministro) tem responsabilidade, sim. Ele cuida da Saúde, o Paulo Guedes cuida da Economia, e eu entro aqui no meio para cuidar das duas áreas", disse.

Em seguida, reforçou não ter nenhum problema com o ministro da Economia, "mas o Mandetta quer fazer a vontade dele muitas vezes". E emendou:

"Pode ser que ele esteja certo", disse, reforçando,no entanto, que "falta humildade" ao ministro da Saúde.

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar os governadores que estão pondo em prática medidas de isolamento social para tentar conter a disseminação do novo coronavírus. Ele mencionou os governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), e Wilson Witzel (PSC), diversas vezes e declarou que eles agem com motivação política para tirá-lo do cargo.

"Eu apelo aos governadores e prefeitos que revejam as suas posições. Comecem a abrir (o comércio). Não é pra abrir imediatamente, mas vai abrindo devagar. Todo dia tem no Alvorada aqui pessoas desesperadas. Isso é triste".

"Estou trabalhando"

Após a fala do presidente,  Mandetta disse que está trabalhando e não viu a entrevista do presidente.

"Não achei nada, não. Não estou sabendo de nada não. Estou trabalhando aqui".

Questionado sobre se não queria responder, disse apenas:

"OK, vamos trabalhar. Lavoro, lavoro, lavoro (trabalho, em italiano)".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também