Bolsonaro decidirá sobre Previdência na próxima semana, diz Onyx

Ministro também minimizou o que descreveu como "pequenos desencontros" no governo, e disse que, com o tempo, todos os ministros estarão alinhados

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quarta-feira que ele e o ministro da Economia, Paulo Guedes, esperam apresentar na próxima semana ao presidente Jair Bolsonaro um projeto completo de reforma da Previdência para recuperar o sistema atual e criar um novo regime de capitalização para as futuras gerações.

Onyx disse, em entrevista à rádio Jovem Pan, que a intenção do governo é apresentar um pacote único ao Congresso para reformar o sistema previdenciário, em vez de uma reforma fatiada, para que, uma vez aprovada a proposta, o Brasil não precise voltar a discutir uma nova reforma pelos próximos 20 a 30 anos.

"Nós acreditamos que ao longo da próxima semana, eu vou conversar com o presidente hoje à tarde, o ministro Paulo Guedes e eu, nós deveríamos já ter condição de levar as alternativas que a equipe técnica vem trabalhando desde a transição de governo para que o presidente possa fazer as suas escolhas", disse Onyx na entrevista.

"Nós vamos consertar esse navio que todos nós estamos dentro chamado Previdência, que está com o casco furado, temos que dar condição de que esse navio continue flutuando e navegando, para poder atender a aposentadoria de milhões de pessoas... e nós queremos criar um sistema novo para as futuras gerações", acrescentou.

Segundo o ministro da Casa Civil, a intenção de criar um regime de capitalização para as futuras gerações terá como um dos benefícios estimular a poupança interna brasileira, o que teria impacto positivo no PIB.

"O Brasil hoje tem uma poupança interna na ordem de 15,5 por cento do seu PIB, o desejado é que tivesse algo em torno de 20 por cento, e no dia que a gente atingir esse patamar o Brasil tem condição de crescer sustentavelmente 3 por cento ao ano no mínimo, inclusive em anos ruins", afirmou.

Onyx também minimizou na entrevista o que descreveu como "pequenos desencontros" no início de governo, e disse que, com o tempo, todos os ministros estarão alinhados com Bolsonaro.

O chefe da Casa Civil acrescentou, ainda, que Bolsonaro está avaliando a possibilidade de ter um porta-voz, e que a tendência no momento é que o presidente decida por ter um.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.