Aliados reforçam “bota-fora” de Alckmin antes de tucano deixar o cargo

João Doria, pré-candidato ao governo estadual, fez questão que no próximo dia 7 começará uma "caminhada" junto com o padrinho político

São Paulo – Aliados do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), reforçam o apoio à pré-candidatura do tucano ao Palácio do Planalto em eventos públicos antes de ele deixar o cargo por conta da corrida presidencial, no próximo dia 6. Quando recebe os apoios, o presidenciável costuma falar: “começou o bota-fora”.

Na tarde desta quinta-feira, 29, em cerimônia de assinatura de convênios com municípios para controle populacional de animais, o secretário estadual do Meio Ambiente, Maurício Brusadin, classificou Alckmin como um “defensor da sustentabilidade” e afirmou que ele é “rigoroso” quando quer fazer as coisas andarem na administração pública. “São Paulo tem um padrão de política pública ambiental que o Brasil tem que conhecer”, disse.

Já o prefeito de Salto, Geraldo Garcia (PP), fez declarações ainda mais contundentes de apoio ao tucano. “Está na hora de dizer mais do que muito obrigado, mas que Deus lhe pague pela entrega e dedicação”, disse o prefeito. “O Brasil vive momentos esquisitos e nós precisamos de pessoas equilibradas como o senhor em sua missão no Palácio do Planalto.”

Pela manhã, o prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), pré-candidato ao governo estadual, fez questão de afirmar que trabalha ao lado de Alckmin nos programas habitacionais e que no próximo dia 7 começará uma “caminhada” junto com o padrinho político.

“É uma tabelinha que funciona muito bem do governador Geraldo Alckmin comigo e continuará a funcionar porque Geraldo Alckmin será presidente da República do Brasil”, disse Doria, durante entrega de unidades habitacionais na região central.

Anteontem, Alckmin foi recebido como “futuro presidente” na região do Grande ABC pelos prefeitos Orlando Morando (São Bernardo do Campo) e Lauro Michels (Diadema). Os dois declararam apoio público à pré-candidatura do tucano.

“Estamos com você porque o Brasil precisa de algo urgente, é Geraldo presidente”, discursou Lauro Michels (PV), durante cerimônia para entrega das obras do prédio da Fábrica de Cultura de Diadema.

“O senhor é um bom gestor, bom político, eficiente, competente e determinado, o que posso pedir a Deus é toda a energia necessário para o senhor consertar esse País”, declarou Orlando Morando (PSDB), em ato de assinatura de convênio do governo do estado com o Hospital de Clínicas de São Bernardo.

O Bandeirantes programou para o próximo dia 6, às 16h30, a transmissão do cargo de Alckmin ao vice-governador Márcio França (PSB), que é pré-candidato à sucessão estadual. Nos próximos dias, antes de deixar o posto, o tucano programa viagens pelo interior do Estado e inaugurações de estações de metrô e trem na capital paulista.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.