Brasil

Aécio nega irregularidades em doação a entidade de sua irmã

Assessoria de Aécio Neves negou que houvesse irregularidade na doação feita pela Andrade Gutierrez à entidade presidida por sua irmã


	Andrea Neves: Aécio defendeu doação feita ao instituto presidido pela irmã
 (Facebook/Andrea Neves/Divulgação)

Andrea Neves: Aécio defendeu doação feita ao instituto presidido pela irmã (Facebook/Andrea Neves/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 12 de julho de 2016 às 14h25.

Brasília e São Paulo - A assessoria do senador Aécio Neves e de sua irmã, Andrea Neves, (PSDB-MG) divulgou nesta terça-feira, 12, nota sobre a reportagem que citava relatório produzido pela Polícia Federal, que analisou informações contidas em celulares apreendidos com o ex-presidente da construtora Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo.

No documento, a PF destacou conversas sobre valores supostamente destinados à campanha eleitoral de Aécio e ao Serviço Voluntário da Assistência Social (Servas), uma associação presidida por Andrea Neves.

Os diálogos foram retirados de troca de mensagens com Oswaldo Borges da Costa Filho, ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais e apontado como tesoureiro informal do tucano.

"As mensagens são autoexplicativas e trazem um conteúdo absolutamente correto, não apontando qualquer irregularidade. A troca de mensagens publicada pelo jornal, entre Oswaldo Costa e Otavio Azevedo, foi feita no mesmo dia 29 de agosto em que foi realizada uma doação da Andrade Gutierrez à campanha presidencial do PSDB de 2014, como consta da declaração feita a justiça eleitoral", diz o texto da assessoria de Aécio e Andrea Neves.

"Sobre a mensagem que cita o Serviço Voluntário da Assistência Social (Servas), trata-se de uma entidade criada há mais de 60 anos, vinculada ao governo de Minas. A entidade implanta e apoia programas sociais em todo o Estado e, para isso, ao longo de toda a sua história, conta com o apoio de doações de empresas privadas".

"A presidência da entidade é tradicionalmente exercida pelas primeiras damas do Estado, como ocorre em outras unidades da Federação. Durante os governos Aécio Neves e Anastasia, a entidade foi dirigida por Andrea Neves".

A assessoria da Andrade Gutierrez também divulgou nota. O texto diz que a empresa "mantém o compromisso de colaborar com a Justiça. Além disto, tem feito propostas concretas para dar mais transparência e eficiência nas relações entre setores público e privado."

Acompanhe tudo sobre:aecio-nevesAndrade GutierrezEmpresasEmpresas brasileirasHoldingsPersonalidadesPolícia FederalPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileiros

Mais de Brasil

STF diz que foi afetado por apagão global, mas que principais serviços já foram restabelecidos

Governo diz que 'apagão cibernético' não afetou sistema Gov.br e outros sistemas

Entenda por que terremoto no Chile foi sentido em São Paulo

Mais na Exame