Acompanhe:

WhatsApp cresce até 76% por causa do coronavírus

O aplicativo de mensagens cresceu mais em países com grande número de casos da covid-19

Modo escuro

Continua após a publicidade
WhatsApp: com home office, aplicativo cresceu durante a quarentena global em razão do novo coronavírus (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)

WhatsApp: com home office, aplicativo cresceu durante a quarentena global em razão do novo coronavírus (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)

L
Lucas Agrela

Publicado em 27 de março de 2020 às, 13h40.

Última atualização em 2 de abril de 2020 às, 12h14.

O uso do aplicativo de mensagens WhatsApp cresceu até 76% devido à pandemia de coronavírus, que afeta mais de 100 países e mais de 500.000 pessoas. Os dados são da consultoria Kantar, que coletou dados de mais de 25.000 pessoas em 30 mercados entre os dias 14 e 24 de março.

O app foi o que registrou maior crescimento em razão da doença covid-19, causada pelo novo coronavírus. No total, o aplicativo teve crescimento de 40% no mundo, em média. Nos primeiros dias, o aumento era de 27% em países onde a doença começou a se propagar e de 41% onde ela estava em nível intermediário da curva de contágio.

Onde o WhatsApp teve maior aumento de uso foi nos países em que a pandemia está em estágio mais avançado. Lá, o crescimento atingiu 51%. A Espanha, um dos países mais afetados pela covid-19, registrou um crescimento muito acima da média, chegando a 76% no período.

Os aplicativos Facebook e Instagram também tiveram crescimento por causa da crise global do coronavírus, que levou habitantes de vários países ao isolamento social físico. Os dois aplicativos tiveram aumento de cerca de 40% no período estudado.

A pesquisa diz ainda que as pessoas não confiam nos conteúdos que recebem por meio de aplicativos de mensagens, dando preferência a canais noticiosos nacionais (58%) e agências governamentais (48%).

Como parte dos efeitos de pessoas trabalhando de casa no mundo todo, o Facebook informou que registrou aumento de 50% em suas plataformas de mensagens no último mês, 70% de crescimento no tempo de uso delas e 1.000% de aumento no tempo de uso em videoconferências. As pessoas que mais usaram os aplicativos no período tinham menos de 35 anos de idade. Ainda assim, no mês de março, as ações do Facebook caíram de 428 para 400 dólares.

O coronavírus também impactou outros aplicativos de mensagens de forma diferente. Enquanto as bolsas de valores mundiais caíam, as ações do aplicativo Zoom Video Communications, de videoconferências, cresceram durante a crise. As ações da empresa passaram de 120 para 150 dólares em março.

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus

Últimas Notícias

Ver mais
Perigos do WhatsApp: 4 dicas para evitar fraudes e vazamentos de dados
ExameLab

Perigos do WhatsApp: 4 dicas para evitar fraudes e vazamentos de dados

Há 2 dias

Sem chatbot por aqui: apps de fotos estão atraindo investimentos milionários
Tecnologia

Sem chatbot por aqui: apps de fotos estão atraindo investimentos milionários

Há 3 dias

Zema reitera no STF que não vai exigir vacinação completa de estudantes na rede estadual
Brasil

Zema reitera no STF que não vai exigir vacinação completa de estudantes na rede estadual

Há uma semana

Qual a diferença entre dengue e covid-19? Veja os sintomas
Brasil

Qual a diferença entre dengue e covid-19? Veja os sintomas

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais