Por que os homens têm mais risco de morte por covid-19?

A taxa de letalidade tem sido mais alta entre os homens do que entre as mulheres, mas pesquisadores ainda não sabem os motivos exatos

Um estudo publicado na China mostra que a taxa de mortalidade para homens contagiados pelo novo coronavírus é de 2,8%, maior do que a das mulheres, que é de 1,7%. Dados de outros países confirmam a tendência de vulnerabilidade maior no público masculino: Itália, Espanha, França, Alemanha, Coreia do Sul e Irã.

Na Itália, um dos países com mais mortos pela doença chamada covid-19, reportou que os homens eram 71% das vítimas.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, especialistas ainda não sabem ao certo qual é o motivo da mortalidade ser mais alta para homens do que para mulheres. A hipótese é uma combinação de três fatores: hábitos, higiene e hormônios.

Estudos iniciais relacionavam a letalidade mais alta entre o público masculino com o tabagismo, baixo entre as mulheres chinesas e alto entre os homens. No entanto, com o avanço da doença para outros países, com taxas mais equilibradas de fumantes, os homens continuaram a ser os mais vulneráveis à covid-19.

Apesar de não ter sido estudado os efeitos especificamente no novo coronavírus, o hormônio estrogênio apresentou resultado positivo na redução de infecção pelo Influenza, da gripe comum, em mulheres, mas não em homens, de acordo com um estudo de 2016 feito por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Fora isso, o sistema imunológico masculino também pode demorar mais para confrontar vírus, o que já foi observado no HIV e na hepatite C.

Outro fator é a higiene entre os homens, que é mais baixa do que a das mulheres, como já mostraram diversos estudos. Os homens nem sempre lavam as mãos ou usam sabonete, por exemplo. Em uma pandemia, como a atual, os hábitos de higiene são cruciais para evitar o contágio, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Para descobrir os motivos exatos para a maior taxa de mortalidade entre os homens com covid-19, os governos e hospitais do mundo todo precisariam compartilhar mais dados sobre os mortos pela doença. Países como os Estados Unidos e Reino Unido, por exemplo, ainda não reportam esses dados.

O novo coronavírus contagiou globalmente cerca de 500 mil pessoas e, considerando os números da Universidade John Hopkins, 22.295 morreram por complicações da covid-19. No Brasil, o número de casos é acima de 2 mil e as mortes ultrapassam 60.

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.