Site criado para cobrar caloteiros vira fenômeno na internet

Revoltado por não receber por serviço prestado, desenvolvedor cria site para cobrar o pagamento e recebe apoio de mais de 15 mil pessoas

São Paulo - O desenvolvedor de sites Rafael Fidelis prestou serviço para uma empresa, mas não recebeu o pagamento. Revoltado com a situação, ele decidiu criar o Pague Meu Frila (PMF), site dedicado única e exclusivamente a cobrar a dívida.

O site é simples. Pensado em tons de cinza e rosa, ele contém um vídeo no qual Fidelis apresenta seu drama aos internautas.

Logo abaixo, o usuário pode escolher entre três diferentes recados que cobram o dinheiro da empresa que deve a Fidelis. O recado escolhido é automaticamente enviado via e-mail para o departamento financeiro da companhia que deve ao desenvolvedor.

Até as 10h de hoje, mais de 15 mil pessoas já haviam participado da brincadeira. Segundo Fidelis, a empresa devedora é uma grande agência de publicidade paulistana. Mas ele se nega a revelar o nome da companhia.

"A campanha é para receber pelo frila e não para ferrar a empresa", explicou Fidelis em entrevista a EXAME.com.

Repercussão

De acordo com Fidelis, a ideia de criar a página surgiu na última quarta (dia 8).

Durante o fim de semana, ele e o publicitário Guilherme Salles criaram o site e o vídeo. Na última segunda (dia 13), às 13h, o PMF entrou no ar.

"Em 12h, tivemos 2 mil likes no Facebook e recebemos o apoio de 6 mil pessoas por meio do site", conta Fidelis. 

Já no fim da tarde da última segunda, a empresa devedora entrou em contato com ele. Porém, até ontem, não havia efetivado o pagamento.

"O site foi essencial para a negociação com a empresa que estava me devendo. Eu estava sem resposta há semanas", afirma Fidelis, que negocia com a agência para receber o dinheiro.

Com o sucesso do site, ele já pensa em manter a página no ar mesmo depois de receber seu dinheiro. "Queremos o transformar o PMF numa espécie de Reclame Aqui de frilas", explica ele.

A ideia é que o site reúna informações (e reclamações) sobre empresas que contratam trabalhos freelances e conte com um ranking das companhias que mais pagam em dia.

Viral

Essa não é a primeira vez que uma ideia de Fidelis vira notícia na internet. No ano passado, ele e Guilherme Salles estiveram por trás do polêmico Tubby.

Anunciado como um app no qual homens avaliariam o desempenho sexual de mulheres, o viral foi, depois, descrito pelos autores como uma crítica a esse tipo de fenômeno (em voga à época por conta do app Lulu).

Agora, veja o vídeo do PMF no qual Fidelis expõe seu drama aos internautas:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.