Tecnologia

Quem quer, e consegue, comprar o TikTok?

Proposta legislativa exige que ByteDance, a empresa-mãe do TikTok sediada na China, venda a plataforma nos Estados Unidos dentro de nove meses, sob risco de proibição

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 25 de abril de 2024 às 12h36.

Última atualização em 25 de abril de 2024 às 14h45.

Tudo sobreTikTok
Saiba mais

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos votou no último sábado (360 a 58) a favor de uma legislação que pode proibir o TikTok nos EUA, a menos que a ByteDance, controladora chinesa, consiga um comprador americano no prazo de nove meses após a sanção da lei, com uma possível extensão de mais três meses se um acordo estiver em andamento.

Joe Biden sancionou o projeto e agora a parte americana do TikTok está avaliado entre 35 e 40 bilhões de dólares, o que sugere desafios significativos para encontrar um comprador com recursos suficientes.

Com mais de 170 milhões de usuários apenas nos Estados Unidos, qualquer gigante tecnológico que assuma a compra — como Meta, Google e Microsoft, possíveis interessados com fundos adequados — provavelmente enfrentará preocupações antitruste.

Quando legisladores em Washington solicitaram a venda do TikTok em 2020, o ministério do comércio da China declarou que o governo precisaria aprovar qualquer venda, conforme noticiado pelo The New York Times. Wang Wenbin, então ministro das Relações Exteriores da China, também acusou os Estados Unidos de recorrerem a "manobras hegemônicas quando não conseguem vencer em uma competição justa".

Ainda não é certo que o TikTok será vendido em breve. No entanto, isso não impediu que algumas pessoas manifestassem publicamente seu interesse em adquirir a plataforma.

Entre os interessados estão:

Bobby Kotick

O ex-CEO da Activision Blizzard, adquirida pela Microsoft por US$ 69 bilhões, supostamente propôs uma aquisição conjunta do TikTok com Sam Altman, CEO da OpenAI.

Kevin O’Leary

O investidor do Shark Tank disse que compraria a plataforma ou se juntaria a um sindicato que planeja comprá-la, em entrevista à Fox News no mês passado. Ele também propôs a criação de um grupo bipartidário para colocar a empresa sob controle dos EUA.

Kevin O'Leary

Steve Mnuchin

O ex-secretário do Tesouro dos Estados Unidos disse que estava reunindo um grupo de investidores para comprar o TikTok, segundo o Business Insider. “Vou formar um grupo para comprar o TikTok”, disse.

Cofundador da Oracle, Larry Ellison em parceria com o Walmart

Em 2020, o cofundador da Oracle tentou se juntar à rede de supermercados para ter uma participação no TikTok quando o ex-presidente Donald Trump tentou acabar com as operações do TikTok nos EUA. A decisão não foi adiante, mas a Oracle passou a participar do Project Texas da ByteDance – dados americanos são guardados em servidores de propriedade da empresa de Ellison.

Chris Pavlovski

O CEO do Rumble, plataforma que ficou conhecida no Brasil por monetizar o conteúdo de Monak em meio a polêmicas com nazismo, divulgou o desejo de formar um consórcio para adquirir e operar o TikTok nos Estados Unidos. A composição desse consórcio, contudo, permanece incerta. Importante ressaltar que a Rumble recentemente foi objeto de investigação pela Securities and Exchange Commission (SEC), da qual saiu sem ações punitivas.

YouTube's

Acompanhe tudo sobre:TikTokApps

Mais de Tecnologia

NIO lança estação que realiza troca de bateria em apenas 3 minutos

Aeroportos registram queda no extravio de bagagens após implementação de novas tecnologias

Volta do presencial prejudica profissionais de tecnologia do Norte e Nordeste

IBM Consulting troca gerente geral para renovar foco em projetos de inteligência artificial

Mais na Exame