Os 10 smartphones que marcaram a década

Levantamento aponta quais foram os smartphones de cada fabricante mais procurados pelos consumidores

A década de 2010 marcou a ascensão do mercado de smartphones no mundo. Com mais funções e preços mais baixos ao longo dos anos, os aparelhos ganharam o gosto da população global. Em 2020, 3,5 bilhões de pessoas usam smartphones no mundo. O número é o triplo de 2012, segundo dados compilados pela consultoria Statista.

Um levantamento feito por EXAME com a ferramenta de pesquisas Google Trends, que aponta tendências de pesquisas ao longo do tempo, mostra quais foram os smartphones mais pesquisados globalmente e que macaram esta década, de 2011 ao fim de 2020. A lista não mostra um ranking, mas, sim, os aparelhos de cada fabricante que tiveram maior interesse dos consumidores na internet.

Galaxy Note 3

Samsung-galaxy-note-3

 (Samsung/Divulgação)

O Galaxy Note é uma linha da sul-coreana Samsung lançada em 2011. A fabricante apostou em telas grandes em uma época que o iPhone tinha tela de 3,5 polegadas. O primeiro Galaxy Note chegou ao mercado global com display de 5,3 polegadas. O modelo mais pesquisado da década não foi o Note 7, que sofreu um recall inédito na indústria de celulares, mas, sim, o Galaxy Note 3. O produto tinha tela de 5,7 polegadas com resolução Full HD, sistema operacional Android 4.3 e câmera de 13 megapixels, sendo um competidor para o iPhone 5S.

iPhone 6s

Apple smartphone iPhone 6s

 (Getty Images/Getty Images)

O iPhone 6S foi o modelo de smartphone da Apple mais buscado da década. Com revestimento de alumínio e erros da geração anterior corrigidos (o modelo 6 Plus ficou conhecido mundialmente pela sua fragilidade após um youtuber dobrá-lo com as próprias mãos sem muito esforço), o iPhone 6S consolidou o novo visual do aparelho, que foi mantido até a chegada do iPhone X, que celebrava os 10 anos do produto.

Moto G

Moto G, o smartphone bom e barato da Motorola, ganha elogios | Exame

(Divulgação/Motorola)

O Moto G tornou-se o smartphone mais vendido da Motorola no mundo e é o aparelho responsável por levar a companhia ao segundo lugar no ranking de vendas no Brasil. Lançado em 2013, quando a Motorola pertencia ao Google, ele chegou ao mercado custando 650 reais oferecendo quase todos os recursos do rival Galaxy S4 Mini, que custava quase o dobro do preço. De lá para 2020, a Motorola passou para as mãos da chinesa Lenovo e sua estratégia mudou: o catálogo de produtos da empresa é baseado no Moto G. A empresa chegou a deixar de lado a briga pelo mercado topo de linha de Galaxies e iPhones para centrar sua estratégia em celulares mais baratos e com recursos avançados.

LG G4

LG G4

(Divulgação/LG)

A LG buscou se posicionar de diversas formas no mercado de smartphones. A sul-coreana apostou em celulares modulares e até em aparelhos com duas telas. Nos últimos anos, a empresa encontrou seu lugar no mercado com a linha K, rival do Moto G. Mas o smartphone que mais foi procurado na web na década foi o LG G4. O aparelho é um modelo topo de linha de 2015 que se destacou por câmera com foco a laser para mais agilidade na captura de imagens e por uma tela de pontos quânticos (tecnologia usada hoje em TVs de outras marcas) para oferecer 20% mais fidelidade de cores e 500 nits de brilho a mais do que telas de LED comuns em celulares da época.

Nokia Lumia 520

(Divulgação/Nokia)

A Nokia passou por muitas transformações na década de 2010. A empresa foi comprada pela Microsoft em 2013 e os celulares da marca sumiram do mercado poucos anos depois. A Nokia voltou em 2017 sob controle da finlandesa HMD Global, que, inclusive, trouxe celulares para o mercado brasileiro em 2020, como o Nokia 2.3 e o Nokia 5.3. Mas o aparelho que marcou a década foi o Lumia 520, da era Microsoft. Equipado com o descontinuado sistema operacional Windows Phone, o produto era de gama básica e vendido a 599 reais em 2013, quando foi lançado no Brasil.

Huawei P20

Huawei-P20-Pro

(Divulgação/Huawei)

Antes das sanções do governo americano que desafiaram o avanço da Huawei, a companhia chinesa cresceu a um ritmo acelerado globalmente. O aparelho que mais se destacou foi o P20, de 2018, que apostava em câmeras, especificações técnicas de ponta e preço acessível. Em 2019, a companhia trouxe a linha P30 no Brasil, mesmo ano em que começaram os problemas comerciais com o então presidente Donald Trump.

Sony Xperia Z3

O Xperia Z3 da Sony funciona como tela para o PlayStation 4 | Exame

(Divulgação/Sony)

A Sony teve uma década desafiadora no mercado de hardware. Apesar do sucesso do console de games PlayStation, os celulares da empresa venderam mal, o que levou à saída do mercado brasileiro em 2019. O modelo que marcou a década foi o topo de linha Xperia Z3, lançado em 2014 com tela de 5,2 polegadas Full HD, câmera de 20,7 megapixels e certificação contra entrada de água e poeira IP68.

Xiaomi Redmi Note 9

Xiaomi volta ao Brasil com smartphones e até patinete elétrica | Exame

(Getty Images)

A Xiaomi está entre as fabricantes de eletrônicos que mais cresceram na década e sua linha de celulares mais popular é chamada Redmi Note, com preços competitivos e configuração de hardware avançada. O modelo Redmi Note 9 foi o mais buscado. Ele tem câmera de 48 megapixels, tela de 6,5 polegadas Quad HD e processador octa-core de 1,9 GHz da taiwanesa MediaTek.

Google Pixel 3A

Google lança celular Pixel de US$399 nos EUA | Exame

(Reprodução/YouTube)

A linha Google Pixel é uma referência para toda a indústria que utiliza o sistema Android para a experiência de uso em celulares. É só em produtos dessa família que existe o que é chamado de “Android puro”, que é a versão do sistema operacional sem nenhuma modificação feita por fabricantes como Samsung, LG, Motorola, Xiaomi ou Huawei. O Pixel A3 foi o mais pesquisado da década. Ele é uma versão com preço mais acessível dos smartphones do Google e marcou a primeira vez que essa família de dispositivos foi vendida por menos de 500 dólares.

OnePlus 6

OnePlus vendeu 500 mil smartphones com investimento de US$ 300 em publicidade | Exame

(Divulgação/OnePlus)

A OnePlus é uma companhia chinesa criada em 2013 e que ganhou relevância global nesta década. O modelo que mais atraiu atenção do público foi o OnePlus 6, de 2018, que tinha câmera de 20 megapixels, tela de 6,2 polegadas e processador octa-core Snapdragon 845, da Qualcomm.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.