Magalu acelera entregas de última milha com nova ferramenta do Google

Com o monitor de itinerários Cloud Fleet Routing, lançado recentemente pela gigante do Vale do Silício, a varejista brasileira passou a controlar com mais precisão a rota dos motoristas, reduzindo o tempo das entregas
Centro de distribuição do Magazine Luiza: computação em nuvem utilizada para melhorar as entregas (Exame/Germano Lüders)
Centro de distribuição do Magazine Luiza: computação em nuvem utilizada para melhorar as entregas (Exame/Germano Lüders)
Por André LopesPublicado em 12/04/2022 10:11 | Última atualização em 12/04/2022 12:38Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O boom do e-commerce fez com que as varejistas se voltassem para o incremento da última milha, a etapa final da entrega, para que o tempo para receber também passe a pesar na escolha do consumidor. Nos bastidores, novas estratégias de logísticas estão sendo aplicadas a partir do uso de dados e, entre elas, está a realocação dos centros de distribuição, da antecipação do envio de certos produtos, e da entrega de um itinerário certeiro com as melhores rotas até a casa do cliente. 

Pensando nisso, o Magazine Luiza recorreu a Google para acelerar o seu delivery, otimizando, justamente, as rotas de última milha. A ideia era que fosse possível aplicar os recursos mais avançados de mapeamento da Google para conseguir fazer entregas em um dia ou menos. 

A aproximação das gigantes, claro, não foi por acaso. Recentemente a Google havia anunciado o Cloud Fleet Routing API, uma solução coorporativa que se concentra na fase de planejamento de rotas de entrega e permite que os operadores realizem um refinamento do caminho de cada veículo da frota. Com isso, é possível resolver solicitações simples de planejamento de trajetos quase em tempo real.

Como se trata de um projeto experimental de 'early adopters', as empresas não revelam o investimento da empreitada, mas foi uma solução buscada pelo Magazine para competir com concorrentes que já haviam encurtado os prazos para dentro de uma dia.

"A pandemia trouxe uma grande pressão para as redes de entregas. Conseguir tamanha precisão no envio dos pacotes ajuda, por exemplo, quando um cliente não está em casa e precisamos fazer todo o remanejo. Antes, o produto acabava indo para mais longe do que o necessário daquele endereço", conta Talita Paschoini, diretora de TI do Magazine Luiza.

Além de acelerar a logística – hoje, o Magalu tem uma malha densa que que envolve mais de 2,1 milhões de envios por mês –  a instalação da ferramenta da Google não ocupou um grande esforço de implementação. Com um time de tecnologia enxuto, contudo, altamente qualificado, a parceria conseguiu integrar, partindo de São Paulo para o resto do Brasil, os sistemas já existentes do Magalu em cerca de um mês. 

"Foi um passo importante para o Magalu. Nossa sinergia já deu resultados bastante animadores. A ideia é sempre criar experiências perfeitas para consumidores, motoristas e gerentes de frota", conta Milena Leal, diretora de negócios de Google Cloud no Brasil.

Executado na nuvem menos poluente da Google Cloud, o sistema também entrou para ajudar o Magalu a atingir as metas de sustentabilidade, reduzindo a distância percorrida, o número de caminhões e vans de entrega e, por consequência, a emissão de CO2.