Greve dos caminhoneiros pode deixar país com falhas de celular e internet

Sem combustível, empresas do setor não têm como realizar serviços de manutenção; sindicato pede prioridade à Anatel

São Paulo – Diante da greve dos caminhoneiros, SindiTeleBrasil, sindicato das empresas de telecomunicações, pede prioridade para a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) no abastecimento de veículos de manutenção das teles, a fim de garantir o funcionamento da rede no caso de grandes falhas.

O pedido é de que as operadoras sejam atendidas de acordo com o Decreto de Garantia da Lei e da Ordem, assinado na última sexta-feira (25) pelo presidente Michel Temer, diante das complicações da greve dos caminhoneiros, que hoje está em seu oitavo dia. O decreto também permite que as Forças Armadas atuem no desbloqueio de rodovias.

O sindicato argumenta que não abastecer os veículos de manutenção pode prejudicar as telecomunicações do país, o que afetaria os consumidores, empresas e serviços essenciais, como saúde e segurança pública. No pior dos cenários previstos, o país pode ficar sem internet móvel, sem telefone e sem SMS.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Juarez Quadros, presidente da Anatel, afirmou que a greve dos caminhoneiros pode afetar serviços telefonia móvel e internet. Ainda assim, ele ressaltou que “não temos registro de ocorrências que agravem os serviços”. A Anatel conta com a assistência do Gabinete de Segurança Institucional e do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Para garantir o abastecimento dos veículos das empresas de telecomunicações, a entidade pede a escolta de caminhões de combustível aos postos usados pelas companhias.

Por enquanto, nenhuma grande falha no serviço de telecomunicações aconteceu e ele segue funcionando normalmente.

Do grupo da NET e da Embratel, a Claro também divulgou nota informando que seus serviços de manutenção podem ser afetados em razão da falta de combustível nos postos–consequência da greve dos caminhoneiros.

 

 

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.