Tecnologia

Fusão do Paramount+ pode significar competição mais acirrada para Netflix e Disney; entenda

Executivos discutem que há muitos serviços em relação ao número total de clientes

Estúdio vem tendo conversas há meses sobre o que fazer com seu streaming (Foto: Divulgação) (Twitter CCXP/Reprodução)

Estúdio vem tendo conversas há meses sobre o que fazer com seu streaming (Foto: Divulgação) (Twitter CCXP/Reprodução)

Publicado em 2 de julho de 2024 às 08h16.

A Paramount está conversando com outras empresas de entretenimento a respeito de uma possível fusão de seu serviço de streaming, o Paramount+. Caso se concretize, esse pode ser um movimento que daria início a uma uma nova onda de parcerias no streaming, dando mais estabilidade à indústria da mídia.

Segundo a CNBC, lideranças da Paramount estão analisando a possibilidade com outros executivos de empresas de mídia e tecnologia.

Uma das empresas que manifestou o desejo de chegar a um acordo é a Warner Bros., segundo pessoas familiarizadas com o assunto. A combinação de Max e Paramount+ poderia fortalecer ambos os serviços, permitindo-lhes competir melhor com Netflix e Disney. A Warner Bros. Discovery manteve negociações preliminares de fusão para um acordo para toda a Paramount Global no início deste ano, mas as negociações não avançaram. A Paramount  também está considerando uma parceria com uma plataforma de tecnologia, disse o co-CEO da empresa, Chris McCarthy, em uma reunião com funcionários em 25 de junho.

Uma estrutura para uma hipotética joint venture com a Warner Bros. Discovery não seria uma divisão 50-50, dadas as naturezas existentes dos ativos de streaming e suas finanças, de acordo com pessoas familiarizadas com o discussões.

O negócio direto ao consumidor da Warner Bros. Discovery obteve US$ 103 milhões em EBITDA ajustado anual em 2023, depois de perder US$ 2,1 bilhões no ano anterior. A Paramount relatou uma perda de US$ 1,67 bilhão em receita operacional direta ao consumidor antes da depreciação e amortização em 2023, menor do que a perda de US$ 1,8 bilhão do ano anterior.

O Max tem cerca de 100 milhões de assinantes globais, com 52,7 milhões baseados nos EUA. A Paramount+ encerrou seu primeiro trimestre com 71 milhões de assinantes.

A NBCUniversal também manifestou interesse em uma joint venture com a Paramount+, conforme relatado pela primeira vez pelo The Wall Street Journal no início deste ano. As negociações não progrediram.

O futuro do streaming

Desde o final de 2019, empresas de mídia tradicionais, incluindo Paramount, Disney, NBCUniversal e Warner Bros. Discovery, lançaram serviços de streaming que causaram perdas de bilhões de dólares.

Segundo a a CNBC, há muito tempo há consenso na indústria de que existem muitos serviços de streaming em relação ao número total de clientes pagantes. Muitos executivos especularam que apenas quatro ou cinco serviços globais poderão provavelmente sobreviver. Os outros precisariam ser consolidados ou integrados em plataformas existentes.

As empresas de mídia estão agora focadas em monetizar melhor o conteúdo de streaming por meio de pacotes e parcerias. A Disney e a Warner Bros. Discovery recentemente se tornaram mais dispostas a licenciar parte de seu conteúdo para serviços de streaming rivais, como o Netflix, para melhor monetizar programas que não estão adicionando novos assinantes aos seus serviços de streaming.

Outro tópico importante das discussões atuais da indústria gira em torno da visualização de filmes e séries de TV por meio de diferentes serviços de streaming com preços diferentes.

Essa ideia foi considerada pela Skydance Media, que quase adquiriu a Paramount antes do fracasso das negociações no mês passado.

O plano da Skydance para a Paramount incluía a fusão da Paramount+ com outro streaming para criar novos serviços de streaming que racionalizassem melhor os ativos. Por exemplo, a biblioteca de conteúdo Showtime da Paramount poderia ser combinada com dramas de outra empresa para criar um serviço independente e sem anúncios.

Ainda de acordo com a CNBC, existe um sentimento generalizado entre os líderes dos meios de comunicação tradicionais de que um melhor "empacotamento" do conteúdo existente pode ser mais lucrativo para toda a indústria.

A desvantagem de mais agrupamentos ou janelas de conteúdo é a confusão do cliente. O aumento das ofertas combinadas entre serviços de streaming pode facilmente levar à frustração do consumidor em vez da satisfação.

Vários executivos de mídia disseram que esperam que Peacock, Paramount+, Max e Disney possam finalmente unir sua programação em um único aplicativo para aliviar a confusão e competir com a Netflix, que domina a indústria de streaming por assinatura com cerca de 270 milhões de assinantes globais.

Acompanhe tudo sobre:StreamingParamountDisneyWarnerNetflix

Mais de Tecnologia

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy A54 é bom? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy M35 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy S23 FE vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame