Facebook encerra serviço de podcasts e salas de áudio ao vivo

A mudança faz parte de uma reavaliação dos produtos de áudio do Facebook
Salas de áudio do Facebook: "inspirado no Clubhouse" (Facebook/Reprodução)
Salas de áudio do Facebook: "inspirado no Clubhouse" (Facebook/Reprodução)
Por André LopesPublicado em 03/05/2022 15:45 | Última atualização em 03/05/2022 15:55Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Em agosto de 2021, o Clubhouse estava em ascensão e, junto disso, entrava em cena uma cópia da plataforma feita pelo Facebook. Como sempre, visando não deixar os negócios de Mark Zuckerberg atrás da concorrência.

Mas os tempos eram outros: a pandemia ainda segurava as pessoas em casa e os eventos e reuniões por áudio pareciam uma ideia promissora para garantir o isolamento social.

De lá pra cá, a história conta que o Clubhouse era legal, mas não tanto quando se esperava. Coincidentemente, foi a mesma coisa que descobriu a Meta, que encerrará no dia 3 de junho a plataforma de salas de áudio (Live Audio Rooms) junto do serviço de podcasts (Soundbites).

Os criadores já não poderão mais enviar programas para o serviço a partir desta semana. Segundo o site The Verge, a mudança faz parte de uma reavaliação dos produtos de áudio do Facebook.

Qual era o plano?

Há um ano, o Facebook disse que intenção era fazer do áudio uma "mídia de primeira classe" em suas plataformas.

Com o Soundbites, a ideia era criar uma espécie de "TikTok de áudio", com trechos curtos extraídos das salas de chat ao vivo.

Já as Live Audio Rooms serviam para conversar por voz em tempo real, mas também eram funcionais para criação de podcasts, pois tinham suporte a múltiplos palestrantes e plateia.