Elon Musk libera patentes da Tesla para ajudar a salvar o planeta

Musk disse ter errado ao registrar patentes para se proteger da competição, porque grandes montadoras não têm grandes projetos de veículos não-poluentes

São Paulo – Elon Musk, o bilionário por trás de empresas como a Tesla, liberou o uso de suas patentes para acelerar a criação de carros elétricos por outras companhias. A condição para que não haja processo por uso indevido de sua tecnologia é que as patentes sejam usadas "em boa fé".

A iniciativa de Musk para aumentar o ritmo da transição de veículos movidos a combustíveis fósseis para os movidos a energia é um esforço para conter o aquecimento global e, desse modo, ajudar a salvar o planeta dos seus efeitos negativos.

"Dado que a produção de veículos chega a 100 milhões de unidades por ano e a frota global é estimada em 2 bilhões de carros, é impossível para a Tesla montar carros rápido o suficiente para resolver a crise do carbono", escreveu Musk, que admitiu ter errado ao temer a competição de grandes montadoras, uma vez que considera pequenos ou inexistentes os esforços de produção de carros elétricos nessas companhias.

Para a empresa, sua posição open-source em relação às suas patentes ajudará a Tesla a atrair o interesse dos melhores engenheiros do mundo para continuar a desenvolver a tecnologia dos seus veículos elétricos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também