Drones terão sistema de monitoramento de voo parecido com o de aviões

Segundo a nova regra do Decea, os dispositivos poderão voar para além da visão de quem os controla, desde que forneçam o itinerário para uma central de monitoramento
Drones monitorados: novo sistema expandirá o espaço aéreo dos dispositivos (Julien GIRAULT/AFP)
Drones monitorados: novo sistema expandirá o espaço aéreo dos dispositivos (Julien GIRAULT/AFP)
A
André Lopes

Publicado em 22/09/2022 às 15:48.

Última atualização em 22/09/2022 às 16:13.

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo, o Decea, publicou recentemente a portaria nº 439/DNOR8 que estabelece um novo sistema de monitoramento para drones e outros tipos de aeronaves não tripuladas.

Chamado de Sistema de Gerenciamento de Tráfego de Aeronaves Não Tripuladas (UTM, na sigla em inglês), no novo sistema que entra em vigor em 3 de outubro, quando um operador decolar um drone, será necessário compartilhar o itinerário de voo em tempo real com uma central.

O funcionamento será parecido com o sistema de gestão de aviões comerciais.

Com isso, acrescenta-se ao sistema ATM (Air Traffic Management) uma nova camada no quesito drones e, que até então, limitava o voo ao horizonte de visão de quem pilota o dispositivo.

Para os negócios, a portaria permitirá organizar e expandir o número de aeronaves além de permitir que novos tipos de operações sejam viáveis de forma segura.

Segundo o Decea, a maioria dos drones comerciais já possuem tecnologias para fornecer dados de geolocalização necessários para monitorar as viagens.