Com a ampliação do 5G no Brasil, iPhone pode ganhar atualização a pedido do ministro Fábio Faria

Preocupado com os usuários de iPhone que, por hora, não podem usar o 5G que chega a mais cidades, o ministro vai pessoalmente à Apple pedir que a empresa ajuste o aparelho para o sinal brasileiro
iPhone com 5G: software do aparelho ainda não suporta a rede 5G brasileira (Don Arnold/WireImage/Getty Images)
iPhone com 5G: software do aparelho ainda não suporta a rede 5G brasileira (Don Arnold/WireImage/Getty Images)
A
André LopesPublicado em 28/07/2022 às 17:31.

Depois de meses com 5G DSS, que simula o sinal mais rápido via redes 4G, e 5G puro só na capital Brasília, as cidades de João PessoaPorto Alegre e Belo Horizonte receberão nesta sexta-feira, 29, a rede em frequências dedicadas nos padrões Non-Standalone (NSA) e o Standalone (SA).

No entanto, no caso do 5G SA, só alguns aparelhos até agora são compatíveis, e o iPhone não é um deles. Para resolver a questão, o próprio ministro das Comunicações, Fábio Faria, agendou uma ida à sede da Apple no dia 2 de agosto para pedir que a empresa libere o recurso para os iPhones dos brasileiros.

“Vamos pedir à Apple para agilizar essas atualizações”, disse o ministro em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 27. “A nossa ideia é que até o final de setembro, em conjunto com o prazo limite para que todas [as capitais] estejam funcionando".

Contudo, mesmo que a Apple concorde com o ministro, o pedido  pode não garantir o acesso de muito mais brasileiros ao 5G. Entre os 242 milhões de celulares do país, a marca mais usada é a Samsung, com 40,54% do mercado, segundo o StatCounter. Em seguida, vem a Motorola (26,87%), a Xiaomi (11,45%), a LG (9,48%) e, então, a Apple (9,36%).