Brasil já tem 126 celulares para cada 100 habitantes

Com exceção do Maranhão, todos os estados brasileiros tem mais linhas celulares contratadas que habitantes

São Paulo — No mês passado, o Brasil bateu seu recorde de novas ativações de celulares para um mês de fevereiro. Foram 2,4 milhões de novas linhas, o maior número dos últimos 13 anos. Ele representa um crescimento de 0,99% na base de celulares no país. A informação faz parte do relatório mensal da Anatel sobre a telefonia celular no Brasil divulgado nesta segunda-feira.

O país terminou o mês com 247 milhões de linhas ativas, o que equivale a uma teledensidade de 126 linhas para cada 100 habitantes. Entre os estados brasileiro, o único que não tem mais celulares que habitantes é o Maranhão, onde a relação é de 83 celulares para cada 100 habitantes.

Mas o Maranhão foi, também, o estado onde a teledensidade mais cresceu em fevereiro, registrando aumento de 2,7%. No outro extremo está o Distrito Federal, campeão disparado nesse quesito, com 217 linhas para cada 100 habitantes. Em São Paulo, o segundo colocado, são 145 linhas para 100 habitantes. Mato Grosso do Sul vem em terceiro, com 144.

Segundo a Anatel, 82% dos celulares em uso no Brasil são pré-pagos e, 18%, pós-pagos. O estado com maior proporção de pós-pagos é o Rio Grande do Sul, onde 26% das linhas usam essa modalidade de pagamento. Já o estado com maior proporção de pré-pagos, 94%, é o Maranhão. Entre as operadoras, a Vivo mantém a liderança no país, com 29,9% das linhas ativas. Em seguida, vêm TIM, com 26,6%; Claro, com 24,7%; e Oi, com 18,6%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.