Tecnologia

Blablacar resiste à crise e espera recuperação no mercado de caronas

O aplicativo de caronas encerrou o ano de 2020 com 50 milhões de viajantes no mundo, sendo 7,1 milhões no Brasil, mostram dados inéditos

Sede do Blablacar, na França: o número de assentos de carona cresceu 6% sobre 2019 no Brasil, apesar da pandemia (Christophe Morin/Bloomberg/Getty Images)

Sede do Blablacar, na França: o número de assentos de carona cresceu 6% sobre 2019 no Brasil, apesar da pandemia (Christophe Morin/Bloomberg/Getty Images)

FS

Filipe Serrano

Publicado em 15 de fevereiro de 2021 às 09h02.

Apesar de a pandemia ter provocado uma redução do transporte rodoviário de passageiros em todo o mundo, a startup Blablacar vê com esperança a chegada das vacinas e tem a expectativa de uma possível recuperação já em 2021.

A startup, conhecida por seu aplicativo de carona usado em 22 países, encerrou o ano de 2020 com 50 milhões de viajantes no mundo, sendo 7,1 milhões no Brasil. O resultado foi menor que em 2019, quando foram 70 milhões de viajantes globais e cerca de 6,5 milhões no Brasil.

Entretanto, alguns resultados foram positivos. No Brasil, o número de assentos de carona oferecidos na plataforma cresceu 6% sobre 2019, atingindo 18,6 milhões. Além disso, 2,5 milhões de novos usuários brasileiros se cadastraram no app, mesma quantidade de 2019, antes da pandemia. Os dados foram obtidos com exclusividade pela EXAME.

Segundo o executivo Ricardo Leite, diretor da Blablacar no país, resultado mostra que o modelo de caronas continua atraindo usuários e se mantém como importante alternativa de transporte intermunicipal para os brasileiros.

“As métricas de 2020, algumas superiores às de 2019, mostram a utilidade das caronas para os usuários e a resiliência do modelo de negócio em tempos de crise. Com o avanço da vacinação, esperamos que as caronas e os ônibus do nosso marketplace aumentem sua participação na matriz de transportes”, diz Leite.

Em 2020, a distância média de uma viagem de carona no app da Blablacar foi de 175 quilômetros. Ao todo, 390 milhões de quilômetros foram percorridos por viajantes brasileiros do aplicativo, o equivalente a 1.000 vezes a distância entre a Terra e a Lua.

Mercado de ônibus em alta

Outro resultado positivo foi o crescimento do serviço de vendas de passagens de ônibus da Blablacar, inaugurado em outubro do ano passado.

O número de passagens vendidas em dezembro foi 70% maior que no mês anterior. A startup diz ter encerrado o ano com um resultado 40% melhor do que o esperado para 2020 no segmento.

As empresas de ônibus que mais venderam passagens pela plataforma foram a Unesul, Eucatur e Ouro e Prata. O serviço de venda de passagens tem parceria com 41 empresas, que oferecem cerca de 30.000 rotas pelo país.

Fundada em 2006 pelo empreendedor Nicolas Brusson e outros sócios como um serviço para oferecer caronas pela internet, a BlaBlaCar é uma das maiores e mais importantes startups da França. A empresa é avaliada em mais de 1 bilhão de dólares.

Nos últimos anos, a empresa tem diversificado seus negócios, apostando em novas frentes de transporte, como a venda de passagens de ônibus e de trem, a operação de linhas de ônibus próprias e também serviços de carona de curta distância, entre outros serviços.

Acompanhe tudo sobre:AppsBlaBlaCarStartupsTransporte de passageiros

Mais de Tecnologia

LinkedIn atinge 75 milhões de usuários no Brasil com forte crescimento da Geração Z

Trabalhe como um streamer: Santander oferece 8 mil bolsas de estudo para gamers

5G atinge 25,92 milhões de chips ativos, mas representa apenas 10% da base móvel no Brasil

Bain compra plataforma de educação PowerSchool por US$ 5,6 bilhões e fecha capital

Mais na Exame