Aplicativo de caronas BlaBlaCar aposta na venda de passagens de ônibus

Aplicativo de caronas poderá ser usado para comprar passagens de ônibus de 40 empresas para até 30 mil linhas no Brasil

A startup BlaBlaCar, conhecida pelo seu aplicativo de caronas compartilhadas, anunciou nesta quarta-feira, 14, a entrada no segmento de vendas de passagens de ônibus no Brasil, em que deve concorrer diretamente com outros competidores como os sites ClickBus, Quero Passagem, entre outros.

Segundo executivos da startup, a BlaBlaCar já fechou parcerias com 41 empresas de transporte rodoviário para oferecer as passagens por meio da plataforma. Ao todo, cerca de 30.000 rotas de ônibus pelo Brasil estarão disponíveis no sistema, número que deve variar de acordo com a oferta das companhias de transporte. Das 41 empresas, 16 já disponibilizaram suas passagens no novo serviço, entre elas Itapemirim, Santa Cruz e Viação Garcia.

O objetivo, segundo executivos da BlaBlaCar, é oferecer mais uma opção de transporte para os usuários que entram na plataforma e fazem uma busca por caronas no sistema. Com a oferta de passagens de ônibus, a ideia é que os cerca de 11 milhões de usuários cadastrados na BlaBlaCar possam optar por essa modalidade de transporte rodoviário, caso uma carona não esteja disponível para o destino procurado por eles.

“Nosso gargalo de crescimento no Brasil é oferta. Se tivermos mais assentos oferecidos, podemos aumentar o número de usuários. E a oferta de passagens de ônibus complementa a das caronas”, disse Ricardo Leite, diretor da BlaBlaCar no Brasil, em coletiva de imprensa nesta quarta.

A meta da startup é vender cerca de 950.000 passagens de ônibus por meio da plataforma até o fim do ano que vem, movimentando 84 milhões de reais em vendas no primeiro ano. Para 2020, a meta é atingir 5 milhões de reais em vendas de passagens.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o meio digital tem se tornado o principal canal de vendas de passagens de ônibus para os passageiros do transporte rodoviário. A empresa espera que o movimento da digitalização do mercado ajude no crescimento das vendas pela plataforma.

Para as companhias de ônibus, que sofreram uma queda brusca na demanda por passagens durante a pandemia, a plataforma da BlaBlaCar é mais uma alternativa para oferecer assentos nos ônibus que têm ficado ociosos.

No caso do Grupo Santa Cruz, o número de passageiros no mês de setembro foi equivalente a 43% da demanda no mesmo mês do ano passado. Em abril, no auge da quarentena, o número chegou a cair para 15%, levando a uma paralisação de parte da frota e a demissão de funcionários. “Eu não acredito que a gente vá chegar a 100% neste ano, talvez até no ano que vem, mas acredito que isso fique entre 80% e 90% até o final do ano que vem”, disse Francisco Mazon, presidente do Grupo Santa Cruz.

Fundada em 2006 como um serviço para oferecer caronas pela internet, a BlaBlaCar é atualmente uma das maiores e mais importantes startups da França. A empresa é avaliada em mais de 1 bilhão de dólares.

Nos últimos anos, a empresa tem diversificado seus negócios, apostando em novas frentes de transporte, como a venda de passagens de ônibus e de trem, a operação de linhas de ônibus próprias e também serviços de carona de curta distância, entre outros serviços.

No ano passado, a empresa comprou a plataforma de vendas de passagens de ônibus Busfor, líder no segmento na Rússia. No país, a startup vende cerca de 11 milhões de passagens de ônibus por ano. A mesma tecnologia usada na plataforma russa foi utilizada para construir o serviço de vendas de passagens no Brasil.

O investimento em novos serviços fez as receitas da BlaBlaBar disparar 71% em 2019, mas os negócios acabaram sofrendo com a baixa demanda por transporte depois da pandemia. Ao todo, a startup tem 90 milhões de usuários no mundo e atua em 22 países.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.