Tecnologia

Americanos confiam mais no TikTok para notícias do que em outras redes, diz pesquisa

A plataforma tem 1 bilhão de usuários em todo o mundo, sendo 170 milhões só nos EUA

Aplicativo, que tem 170 milhões de usuários nos EUA, corre o risco de ser banido no país (Dan Kitwood/Getty Images)

Aplicativo, que tem 170 milhões de usuários nos EUA, corre o risco de ser banido no país (Dan Kitwood/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 13 de junho de 2024 às 07h00.

Enquanto o debate sobre se o TikTok vai continuar operando no país segue causando discussões acaloradas - o presidente Joe Biden aprovou uma lei que obriga o app a mudar de dono, hoje é a chinesa ByteDance, ou simplesmente a sair do país -, os norte-americanos parecem não se preocupar muito com a plataforma quando a questão é a política.

De acordo com um estudo do Pew Research Center feito em março, a sensação entre os americanos era de que o TikTok tinha menos probabilidade de influenciar o modo como viam as notícias,  seja por meio de recomendações algorítmicas ou moderação de conteúdo, em comparação com plataformas como Facebook, Instagram e X. Foram ouvidas 10 mil pessoas para a pesquisa, divulgada nesta semana pelo Business Insider.

Pelos números, 61% dos adultos norte-americanos disseram sentir que o TikTok estava influenciando as notícias que lhes eram mostradas, enquanto 74% falaram o mesmo sobre o Facebook, 72% para o Instagram e 66% para o X.

Os entrevistados que disseram consumir notícias também tendem a estar menos preocupados com a precisão das informações que encontram no TikTok em comparação com outros aplicativos. 71% relataram ver notícias imprecisas no TikTok “às vezes” ou “ou com bastante frequência”, em comparação com 76% no Instagram, 84% no Facebook e 86% no X.

De acordo com a pesquisa do Pew, 25% dos usuários do X disseram que receber notícias era um motivo “principal” para usar a plataforma, e 15% dos usuários do TikTok também relataram que receber notícias era um motivo “principal” para estarem na rede.

Entre os entrevistados que consumiram notícias no TikTok, 67% disseram que as informações vieram de jornalistas e meios de comunicação, em comparação com 68% de influenciadores ou celebridades e 84% de “outras pessoas que não conhecem pessoalmente”.

Ao mesmo tempo, o TikTok também está deixando os usuários menos “desgastados” pela quantidade de notícias que veem na plataforma em comparação com os outros aplicativos. 47% dos entrevistados do Pew disseram que se sentiam desgastados pelas notícias no TikTok “às vezes” ou “com bastante frequência”, em comparação com 70% para notícias no Facebook, 64% para notícias no X e 64% para notícias no Instagram.

O TikTok aumentou rapidamente seu público nos EUA entre 2018 e 2022 após se fundir com o aplicativo de sincronização labial Musical.ly e oferecer um fluxo interminável de vídeos curtos centrados em música, dança, comédia e outras áreas de entretenimento e mídia.

Hoje, o TikTok tem 1 bilhão de usuários em todo o mundo, sendo 170 milhões só nos EUA.

Acompanhe tudo sobre:TikTokRedes sociais

Mais de Tecnologia

Starlink lidera mercado de internet por satélite no Brasil

Promessa de ser o 'novo Twitter', rede social indiana Koo encerra operações

Motorola Edge 40 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Xiaomi Poco F5 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame