Mundo

Trump adere ao TikTok, rede que queria banir quando estava no cargo

Durante seu mandato (2017-2021), Trump tentou banir o TikTok por motivos de segurança nacional por meio de uma ordem executiva, mas a iniciativa foi paralisada no tribunal

Trumpo: candidato à presidência dos EUA cria perfil no TikTok, rede social que queria banir (Mark Peterson/AFP)

Trumpo: candidato à presidência dos EUA cria perfil no TikTok, rede social que queria banir (Mark Peterson/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 2 de junho de 2024 às 18h48.

O ex-presidente dos Estados Unidos e novamente candidato à Casa Branca, Donald Trump, criou um perfil na plataforma TikTok e publicou seu primeiro vídeo no popular aplicativo de mídia social que ele tentou banir quando estava no cargo.

Para atingir os eleitores mais jovens enquanto busca um outro mandato em novembro contra o presidente democrata Joe Biden, Trump publicou um clipe de 13 segundos na noite de sábado, no qual aparece com seu habitual terno azul e gravata vermelha assistindo a uma luta do Ultimate Fighting Championship (UFC) em Newark, Nova Jersey.

No vídeo, gravado com uma música estridente, Trump é apresentado pelo executivo-chefe do UFC, Dana White, e se curva para a câmera, dizendo: "Me sinto honrado".  Trump acena para as pessoas presentes nas arquibancadas da arena do UFC e conclui o clipe dizendo: "Foi um bom passeio, não foi?"

Até o meio-dia de domingo, o ex-presidente já tinha dois milhões de seguidores em sua conta na rede @realDonaldTrump.

Durante seu mandato (2017-2021), Trump tentou banir o TikTok por motivos de segurança nacional por meio de uma ordem executiva, mas a iniciativa foi paralisada no tribunal quando um juiz federal questionou como a medida afetaria a liberdade de expressão da plataforma e bloqueou a decisão.

Em abril, o presidente Joe Biden sancionou um projeto de lei que aprovava a proibição do TikTok nos Estados Unidos se seu proprietário chinês, Bytedance, não conseguir encontrar um comprador local para o aplicativo no prazo de um ano.

O governo e os legisladores americanos expressaram preocupação com a possibilidade de o governo chinês usar o TikTok para coletar dados pessoais de usuários locais para outros fins prejudiciais aos Estados Unidos.

A campanha de Biden este ano também aderiu ao TikTok, que tem mais de 170 milhões de usuários nos Estados Unidos.

Acompanhe tudo sobre:Donald TrumpTikTok

Mais de Mundo

Às vésperas do G7, EUA anuncia mais sanções contra Rússia pela guerra na Ucrânia

Gorjetas no exterior: dicas para viajar sem estresse

Milei retira Aerolíneas e Correios de lista de privatizações para tentar aprovar Lei de Bases

Hezbollah ataca Israel com mais de 100 foguetes após assassinato de comandante

Mais na Exame