Tecnologia

TikTok avança em criação de app e algoritmo feito apenas para os EUA

Movimento visa criar versão independente do algoritmo de recomendação nos EUA, em meio a pressões políticas para banir o aplicativo

Publicado em 30 de maio de 2024 às 16h54.

Última atualização em 20 de junho de 2024 às 14h03.

O TikTok está desenvolvendo uma versão independente de seu algoritmo de recomendação para seus 170 milhões de usuários nos Estados Unidos, de acordo com a Reuters. A iniciativa visa tornar o aplicativo mais aceitável para legisladores americanos que buscam proibir a plataforma.

O trabalho de separação do código-fonte foi ordenado pela ByteDance, empresa controladora do TikTok na China, no final do ano passado, antes de um projeto de lei que exige a venda das operações do TikTok nos EUA ganhar força no Congresso. Esse projeto foi sancionado em abril.

Fontes que pediram anonimato à agência por não estarem autorizadas a falar publicamente sobre o assunto afirmam que, uma vez que o código seja separado, isso poderá preparar o terreno para uma possível venda dos ativos nos EUA, embora não haja planos atuais para isso. O TikTok recusou comentar, mas a empresa já afirmou anteriormente que não tem planos de vender seus ativos nos EUA e que tal movimento seria inviável.

Em maio, o TikTok e a ByteDance processaram o governo dos EUA em uma corte federal, buscando bloquear a lei que força a venda ou proibição do aplicativo até 19 de janeiro. Na terça-feira, uma corte de apelações dos EUA estabeleceu um cronograma acelerado para considerar os desafios legais à nova lei.

Nos últimos meses, centenas de engenheiros da ByteDance e do TikTok nos EUA e na China foram instruídos a começar a separar milhões de linhas de código, analisando o algoritmo que associa usuários a vídeos de seu interesse. A missão dos engenheiros é criar uma base de código separada, independente dos sistemas usados pela versão chinesa do TikTok, Douyin, eliminando qualquer informação que ligue a usuários chineses.

Esse plano, ainda não reportado anteriormente, oferece uma visão rara sobre como poderia ser a separação técnica das operações do TikTok nos EUA e mostra os esforços do TikTok para mitigar os riscos políticos. O presidente dos EUA, Joe Biden, e outros apoiadores da lei argumentam que o TikTok dá a Pequim acesso a uma vasta quantidade de dados, que poderiam ser usados para espionar ou influenciar os usuários americanos.

O TikTok e a ByteDance prometeram lutar contra a lei dos EUA com base na Primeira Emenda. No entanto, os engenheiros continuam sob ordens de desvincular o algoritmo de recomendação dos EUA da rede mais ampla da ByteDance. Um plano anterior para isolar os dados dos usuários dos EUA, chamado Projeto Texas, não conseguiu acalmar os reguladores e legisladores americanos.

Em um ponto, os executivos do TikTok consideraram abrir parte do algoritmo para mostrar transparência tecnológica. Planos e atualizações sobre o projeto de separação de código foram comunicados durante reuniões internas e em documentos de planejamento, conforme fontes presentes.

Questões de conformidade e legais estão complicando o trabalho, com cada linha de código sendo revisada para determinar se pode ser transferida para a nova base de código. O objetivo é criar um novo repositório de código para um algoritmo de recomendação que atenda apenas ao TikTok nos EUA. Uma vez concluído, o TikTok nos EUA administrará e manterá seu algoritmo de recomendação de forma independente das outras regiões e da versão chinesa Douyin. Esse movimento poderia cortar o TikTok dos EUA da massiva capacidade de desenvolvimento de engenharia de sua empresa-mãe em Pequim.

Se o TikTok concluir a separação do algoritmo, a gerência do TikTok está ciente do risco de que o TikTok nos EUA possa não conseguir oferecer o mesmo nível de desempenho do aplicativo atual, devido à dependência dos engenheiros da ByteDance na China para atualizar e manter a base de código e maximizar o engajamento dos usuários.

Acompanhe tudo sobre:TikTokApps

Mais de Tecnologia

Você sabe o que é telemática? Tecnologia reduziu em 40% as taxas de colisões em estradas, diz estudo

Instagram está implementando 'live' apenas para melhores amigos

Vício em TikTok? O que é 'brainrot' e por que o termo está tão em alta

Mais 168 cidades podem ter internet 5G a partir de sexta-feira; veja a lista

Mais na Exame