Quer fugir do aumento de preço de fornecedores? Aposte em marketplaces

Clínica Cove Dental, de São Paulo, consegue economizar até 50% com matérias-primas ao comprar tudo online
 (Jasmin Merdan/Getty Images)
(Jasmin Merdan/Getty Images)
M
Maria Clara DiasPublicado em 16/09/2021 às 05:39.

O empreendedor paulista Victor Abuharun tem mudado bastante o perfil dos fornecedores da clínica odontológica Cove Dental, na zona sul de São Paulo, para fazer frente ao aumento de custos — boa parte oriunda de novos impostos. No estado de São Paulo, por exemplo, houve um crescimento de 18% no valor dos impostos aplicados a materiais cirúrgicos, em sua maioria importados — placas, parafusos, brocas, enxertos, resinas, material de moldagem e próteses — antes livres de taxação. “Uma cirurgia que antes custava à clínica 70.000 reais passou a custar 98.000, por causa dos custos do material exigido nos procedimentos”, afirma. “Tivemos de colocar na balança o que faria diferença ou não no procedimento.”

Com a alta procura por itens descartáveis, como luvas e máscaras, a solução para a empresa tem sido se render aos aplicativos digitais de compras, como Amazon, Shopee e Mercado Livre, conta o empreendedor. “Os produtos costumam ser 50% mais baratos por lá”, diz Abuharun. “É o que tem ajudado a salvar a empresa em tempos de inflação alta”, diz.  

Saiba tudo sobre a edição deste ano do Melhores e Maiores, o evento de maior prestígio para as empresas brasileiras