Depois de quase perder tudo, empresário muda de área e hoje fatura R$ 600 milhões

Rogério Gabriel quase perdeu o negócio com a disrupção no varejo de eletrônicos. Foi o pontapé inicial para a rede de cursos MoveEdu, que fatura R$ 600 milhões
Rogério Gabriel, da MoveEdu: autoestima e rede de apoio para suportar uma crise (Divulgação/Divulgação)
Rogério Gabriel, da MoveEdu: autoestima e rede de apoio para suportar uma crise (Divulgação/Divulgação)
M
Mariana DesidérioPublicado em 22/07/2022 às 06:00.

O empresário Rogério Gabriel é dono da MoveEdu, uma rede de franquias com mais de 1.000 escolas e faturamento anual beirando 600 milhões de reais em 2022. Por ano, 500.000 estudam nas quatro marcas do grupo: Prepara Cursos, Microlins, ­Peo­ple e Ensina Mais. O formato começou a sair do papel nos anos 2000, quando Gabriel precisou reinventar-se como empreendedor. Até então, Gabriel era dono da Precisão Informática, loja de suprimentos com dez unidades no interior paulista.

O avanço de magazines online, como a Americanas.com, colocou o modelo em xeque. “Perdemos margem e volume de vendas, e o negócio foi se espremendo”, diz ele, que fechou metade das lojas e contraiu dívidas para salvar o negócio. O sufoco só não foi maior porque a procura pelo serviço de pós-venda, com treinamento para as empresas sobre como usar as máquinas, só crescia. Em 2004, veio o ponto de virada, com o retrofit de uma loja da Precisão numa espécie de cursinho de informática. Era o início da Prepara, embrião da MoveEdu. Hoje a empresa oferece cursos de tecnologia, gestão, mar­keting, inglês, entre outros, com foco no público de baixa renda em busca do primeiro emprego.

Para fazer a transformação de que sua empresa precisava, Gabriel olhou primeiro para si mesmo. “Manter a autoestima elevada e contar com uma rede de apoio é fundamental em momentos de crise”, diz. Depois de cuidar de si, o empreendedor iniciou os movimentos necessários para salvar seu negócio. Visitou escolas e conversou com quem atuava no ramo, até se convencer de que investir em educação seria um bom caminho. Em 2017, a Prepara comprou as marcas Microlins, SOS e People da companhia britânica Pearson.

Gabriel aprendeu muito nos tempos bicudos. Hoje ele procura se manter atento às tendências de mercado, por meio da participação em entidades como a ABF, associação de franquias, e a Endeavor, rede de empreendedores. Com os insights desses fóruns, Gabriel faz o planejamento estratégico do negócio, que é revisado de tempos em tempos para eventuais ajustes de rota. Nas finanças, o aprendizado é bem objetivo. “É preciso respeitar o caixa. Uma empresa pode ficar anos sem lucro, mas sobrevive poucos meses sem caixa”, diz. Hoje a MoveEdu convive com outra grande mudança no mercado: o avanço do digital na pandemia. Dessa vez, Gabriel foi rápido no gatilho: já em 2020 a MoveEdu passou a oferecer cursos online.