Quem é Rosane Kaingang, ativista indígena brasileira homenageada hoje pelo Google

A ativista era descendente do povo Kaingang, etnia indígena presente no Sul do Brasil
 (Doodle/Reprodução)
(Doodle/Reprodução)
I
Isabela Rovaroto

Publicado em 03/06/2022 às 09:44.

Última atualização em 03/06/2022 às 13:11.

O Google fez nesta sexta-feira, 3, uma homenagem no Doodle a Rosane Kaingang, uma das principais ativistas indígenas do Sul do Brasil.

Rosane Kaingang começou a militar no movimento indígena no dia 3 de junho de 1992, na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (ECO-92), sediada no Rio de Janeiro.

A líder indígena entrou na Fundação Nacional do Índio (Funai) em 2001 e, entre 2005 e 2007, ocupou o cargo de coordenadora geral de Desenvolvimento Comunitário, tendo apoiado projetos de mulheres indígenas, incentivando ainda a organização política dessas mulheres, de acordo com informações do portal Geledés.

Pouco depois, participou do I Encontro Nacional das Mulheres Indígenas e foi uma das fundadoras do Conselho Nacional das Mulheres Indígenas (Conami).

Ela também foi casada com uma das mais importantes lideranças indígenas do país nos anos 1980 e 1990, Álvaro Tukano.

Quem foi Rosane Kaingang

A ativista era descendente do povo Kaingang, etnia indígena presente nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Seu nome indígena, Kokoj, significa “beija-flor”, e foi dado a ela durante uma cerimônia em homenagem à sua bisavó.

Rosane morreu em 2016, aos 54 anos, em Brasília, após uma luta de cerca de três anos contra um câncer.

VEJA TAMBÉM:

Por que Galvão Bueno não narrou o jogo Brasil x Coreia do Sul na Globo?

Conheça as datas comemorativas e feriados de junho de 2022

Pai de Elon Musk revela como criação impactou ambição do bilionário

CVC vende diárias em hotéis a partir de R$ 50 em aniversário de 50 anos