China censura filme Clube da Luta e cria final alternativo. Veja mudanças

A censura de cenas consideradas “violentas” ou “pornográficas” na China é uma prática rotineira
Clube da Luta: O “novo final” desencadeou uma discussão acalorada no fórum chinês de cinema e cultura Douban (Regency Enterprises/20th Century Fox/Reprodução)
Clube da Luta: O “novo final” desencadeou uma discussão acalorada no fórum chinês de cinema e cultura Douban (Regency Enterprises/20th Century Fox/Reprodução)
Por Da RedaçãoPublicado em 25/01/2022 13:33 | Última atualização em 25/01/2022 13:34Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Um dos clássicos do cinema, o filme Clube da Luta, com Brad Pitt e Edward Norton, não escapou dos censores do governo da China. O longa de 1999 teve o seu final alterado para uma versão "menos violenta" e casou revolta de fãs.

O “novo final” desencadeou uma discussão acalorada no fórum chinês de cinema e cultura Douban, onde um comentarista disse com raiva que o público está acostumado a ver filmes censurados, mas inventar um final completamente diferente “foi demais”.

A censura de cenas consideradas “violentas” ou “pornográficas” na China é uma prática rotineira. Um produtor de filmes disse ao portal South China Morning Post que as plataformas costumam enviar programas de televisão, internet e animação para as agências locais da Administração Nacional de Rádio e Televisão, o principal órgão de vigilância da mídia da China, para visualização e feedback.

“Às vezes, os comentários eram realmente específicos sobre o que cortar”, disse ela. “Principalmente são cenas violentas e pornográficas, ou na questão de 'valores', como bandidos não deveriam vencer.” Ele disse que as plataformas foram pressionadas para fazer a mudança sugerida antes que os filmes fossem liberados para lançamento.

Quando as plataformas compram filmes estrangeiros, às vezes fazem um acordo a produtora e dizem que o filme precisa passar por censura, mas depende do contrato, explicou o produtor.

O que muda no "final chinês" do Clube da Luta?

No filme de David Fincher, o longa termina com o protagonista atirando em si mesmo, matando seu alter-ego perigosamente controlador Tyler. Então, sua namorada chega ao local e juntos eles assistem a uma série de explosões, com prédios ao longe desmoronando no chão.

No Tencent Video, um site chinês de streaming de vídeo, no entanto, o filme termina com o protagonista dando um tiro na boca. Então aparece algum texto em inglês dizendo: “Através de pistas fornecidas por Tyler, a polícia rapidamente descobriu todo o plano e prendeu todos os criminosos, impedindo com sucesso o plano de destruição em massa.” O filme também diz que Tyler foi enviado para um manicômio recebendo tratamento psicológico e recebeu alta do hospital em 2012.

A versão da Tencent é 12 minutos mais curta que a original, com cinco minutos cortados da cena final.

Coringa proibido e Longa com final curto

O filme Coringa, de 2019, vencedor do Oscar de Melhor Ator, teve seu lançamento proibido no país. De acordo com relatório do Deadline, os censores entenderam que o tom do longa é não é adequado. Em 2017, o filme Logan, com o astro Hugh Jackman, teve seu final reduzido em 17 minutos, por considerarem violento demais para o público. Em 2020, o lançamento de Nomadland, vencedor de Oscar de Melhor Filme, foi cancelado devido a comentários feitos pela diretora Chloé Zhao em uma entrevista à revista de 2013 na qual ela descreveu a China como “um lugar onde há mentiras em todos os lugares”.