• AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
  • AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
Abra sua conta no BTG

Startup que ajuda Ambev e iFood a recrutar talentos leva aporte milionário

A Intera, fundada em 2018, é especializada em recrutamento digital de profissionais disputados das áreas de tecnologia e inovação
Augusto Frazão, Paula Morais e Juliano Tebinka, sócios da Intera: a empresa tem clientes como Creditas, Quinto Andar, Itaú e Via Varejo (Divulgação/Intera)
Augusto Frazão, Paula Morais e Juliano Tebinka, sócios da Intera: a empresa tem clientes como Creditas, Quinto Andar, Itaú e Via Varejo (Divulgação/Intera)
Por Carolina IngizzaPublicado em 27/12/2020 08:00 | Última atualização em 02/02/2021 12:33Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Foi unindo marketing digital ao processo de recrutamento que a startup brasileira Intera conseguiu crescer e chegar a um faturamento anual de 3 milhões de reais. A empresa, fundada em 2018 em Salvador, na Bahia, é especializada em atrair talentos de tecnologia para empresas como iFood, Creditas, Quinto Andar, Ambev, Via Varejo e Gerdau. Agora, para construir uma nova plataforma de RH, a companhia captou um aporte de 2,5 milhões de reais com um grupo de investidores-anjo brasileiro. 

A idealizadora da companhia é Paula Morais, que já havia empreendido em um marketplace de aluguel de produtos e também trabalhado na empresa de educação médica Sanar. Ao perceber que haverá um déficit de 264.000 profissionais de tecnologia no Brasil até 2024, a empreendedora decidiu criar uma escola de formação de desenvolvedores web. 

Em poucos meses de negócio, a Morais descobriu que apesar de haver oportunidade na educação, não conseguiria estruturar um modelo de negócio focado nisso. “Não havia ninguém disposto a pagar a conta da formação de desenvolvedores lá em 2017. Eu também não estava familiarizada com o modelo de venture capital, achava que o negócio teria que dar dinheiro desde o primeiro dia”, diz. 

Em 2018, ela decidiu transformar a Intera em uma empresa focada em atender o mercado corporativo. “Conversamos com mais de 100 RHs em 2018 e percebemos que eles estavam insatisfeitos com as soluções de recrutamento de profissionais de tecnologia”, afirma Morais. 

Para resolver esse problema, a startup criou um modelo de recrutamento batizado de hunt hacking. As empresas que assinam o serviço recebem um número de créditos por mês que podem ser utilizados para comprar indicações de candidatos. Usando inteligência de dados e técnicas de marketing digital, a Intera encontra os melhores profissionais para as vagas disponíveis e os convence a participar do processo seletivo.

Com o aporte, Morais e os outros cofundadores do negócio, Augusto Frazão e Juliano Tebinka, irão estruturar uma plataforma para que as próprias empresas possam operar o hunt hacking sozinhas. 

“Vamos construir um produto tecnológico que escale a nossa solução e possibilite o nosso cliente a fazer o que a gente faz para ele: gerar contratações assertivas e em menor tempo", diz a fundadora. Atualmente, apesar de o processo utilizar tecnologia, profissionais da startup precisam participar da busca por candidatos. 

Desde a fundação do negócio, a Intera já intermediou mais de 400 contratações para posições técnicas nas corporações. Para 2021, a meta dos sócios é dobrar a receita do negócio, que faturou cerca de 3 milhões de reais neste ano, três vezes mais que em 2019. O desafio da empresa será conseguir ganhar escala e eficiência nas vendas enquanto trabalha para criar a primeira versão do novo software.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.