Negócios

Yopa: o que aconteceu com a famosa marca de sorvetes e picolés dos anos 1990

Marca da Nestlé se popularizou nos anos 1990 com picolés como o Comics e o sorvete Sem Parar

 (Reprodução)

(Reprodução)

Daniel Giussani
Daniel Giussani

Repórter de Negócios

Publicado em 30 de maio de 2024 às 08h16.

Última atualização em 3 de junho de 2024 às 10h01.

Ir para praia e parar um carrinho de sorvetes da Yopa pode ter sido uma realidade para muitas crianças dos anos 1990. A marca de sorvetes e picolés fez sucesso no Brasil nesta época, principalmente por causa de seus produtos com personagens conhecidos da Disney, como Mickey, e de formatos até então inovadores, como o jatinho e o cone. 

Apesar do sucesso nos anos 1990, a Yopa perdeu espaço com a virada do século e foi substituída pela marca Nestlé.

A EXAME te conta mais sobre a história dessa marca que foi um sucesso no século passado. 

Qual é a origem do sorvete Yopa

  • A origem da Yopa está na Alemanha. Em 1933, o alemão Josef Pankofer criou por lá o sorvete Jopa (iniciais do nome e do sobrenome dele). Foi um dos primeiros sorvetes e alimentos congelados fabricados industrialmente. Em 1969, a Nestlé assumiu o controle da empresa.
  • Com a aquisição da Nestlé, a marca começou a chegar em novos mercados, como Espanha, Suíça, França, Chile e México.
  • No Brasil, a marca aterrissou em 1972. Para manter a pronúncia original, o nome foi adaptado de Jopa para Yopa.

Como foram os primeiros anos da Yopa no Brasil

  • Nos primeiros anos de atuação no Brasil, a Nestlé adaptou marcas de chocolate em sorvetes, o que ganhou a popularidade das pessoas. Havia produtos como Galak, Prestígio, Chokito, Lollo, Leite Moça e Brigadeiro.

  • A produção e distribuição dos produtos foi focada na região Centro Sul do país por 10 anos, até 1982.
  • A partir de então, a Yopa concentrou as vendas e produções na região Sudeste, com operações no Rio de Janeiro e em São Paulo.
  • Em 1990, a marca detinha cerca de 12% do mercado de sorvetes do país. Ficava atrás da Gelato, da Gessy Lever (antiga Unilever), e da Kibon, líder do setor com cerca de 60% do mercado.

Como a Yopa se popularizou nos anos 1990

  • Em 1990, a Nestlé formou uma parceria com a Gessy Lever para criar uma joint-venture casando as operações das marcas Yopa (da Nestlé) e Gelato (Gessy Lever) no Brasil. 
  • A negociação levou cerca de oito meses e criou uma nova empresa, chamada Insol, controlada 50% por cada companhia.
  • Nesse período, a empresa também lançou picolés famosos, como o Comis, com a imagem do Mickey, e o famoso sorvete Sem Parar. 
  • A joint-venture durou até 1993, mas ajudou a catapultar a marca de sorvetes da Nestlé. Produtos divertidos e em formatos diferentes, como um em formato de foguete, outro em cone e um terceiro com dois palitos, popularizaram ainda mais a marca durante os anos 1990.

Surpresa, Croquete, Cigarrinhos Pan: o que aconteceu com os famosos chocolates dos anos 1980

Como foi o fim da marca Yopa

  • Em 1997, a Unilever comprou a Kibon, o que intensificou ainda mais a força da marca líder do mercado no Brasil. Isso obrigou a Nestlé a ser ainda mais estratégica com a sua marca Yopa.
  • Aos poucos, pesquisas de mercado começaram a apontar preferência crescente pelos produtos da própria Nestlé. Com isso, a resposta da marca foi substituir gradualmente a marca Yopa pela própria identidade corporativa.
Acompanhe tudo sobre:Sorveteriasnostalgia

Mais de Negócios

A empresa inglesa que inventou a retroescavadeira vai investir R$ 500 milhões no Brasil — veja onde

Fórmula secreta? Como a Disney reinventou sua gestão financeira para continuar no topo

Depois de faturar R$ 300 milhões no Brasil, a Asper quer combater crimes digitais nos Estados Unidos

Em masterclass gratuita, Marcelo Cherto ensina o passo a passo para abrir uma franquia de sucesso

Mais na Exame