Negócios

Walmart: de olho no digital, mas sem descuidar do faturamento

ÀS SETE - É esperado que a varejista apresente vendas de US$ 134,8 bilhões, uma alta de 2,97% em relação ao mesmo trimestre de 2016

Walmart: em novembro e dezembro, o faturamento do varejo americano subiu 5,5% em relação aos mesmos meses de 2016 (Germano Lüders/Exame)

Walmart: em novembro e dezembro, o faturamento do varejo americano subiu 5,5% em relação aos mesmos meses de 2016 (Germano Lüders/Exame)

DR

Da Redação

Publicado em 20 de fevereiro de 2018 às 06h21.

Última atualização em 20 de fevereiro de 2018 às 07h08.

Com a melhor temporada de final de ano para as vendas no varejo dos Estados Unidos desde a crise econômica de 2008, investidores estarão de olho nesta terça-feira no balanço do último trimestre do ano passado da varejista Walmart, a empresa com o maior faturamento do planeta.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

É esperado que o Walmart apresente vendas de 134,8 bilhões de dólares, de acordo com o consenso de analistas de Wall Street, uma alta de 2,97% em relação ao mesmo trimestre de 2016, quando a empresa faturou 130,9 bilhões.

Em novembro e dezembro, o faturamento do varejo americano subiu 5,5% em relação aos mesmos meses de 2016, para um total de 691,9 bilhões de dólares.

Se as expectativas se confirmarem e o faturamento do Walmart seguir a tendência do mercado, o período deve ser o melhor trimestre em dois anos.

No trimestre anterior, a expectativa nas vendas era de alta de 1,9% e o Walmart surpreendeu, apontando avanço de 2,7% no faturamento, o que levou as ações a subirem 11% no dia da divulgação do resultado.

Mais do que 0 resultado para o ano que passou, investidores estarão atentos aos planos e expectativas da própria companhia para o futuro — algo que pode importar tanto quanto bons números na receita da empresa.

Principalmente nas vendas digitais. No terceiro trimestre do ano passado, o Walmart anunciou que havia dobrado o faturamento das vendas online.

Mas ainda há muito que crescer nessa direção para enfrentar concorrentes de peso, como a gigante Amazon: por enquanto, apenas 3% do faturamento do Walmart vem de meios digitais.

O Walmart adquiriu no ano passado a empresa de e-commerce Jet.com para aumentar sua presença no varejo online. Há também reportagens que afirmam que a empresa está em conversas para adquirir uma fatia na indiana Flipkart.

Se os resultados de hoje forem como o esperado, apetite para adquirir, e brigar de frente com a Amazon, não vai faltar.

Acompanhe tudo sobre:Às SeteBalançosEstados Unidos (EUA)Exame HojeVarejoVendasWalmart

Mais de Negócios

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Descubra 4 formas de pedir empréstimo e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma

Apoio Financeiro no RS: prazo para adesão ao termina nesta sexta-feira; saiba como se inscrever

Com nova fábrica, Gelato Borelli vai triplicar produção e planeja faturar R$ 360 milhões em 2024

Mais na Exame